A sustentabilidade e o papel da publicidade

Buscar

Ponto de vista

Publicidade

A sustentabilidade e o papel da publicidade

Milena Seabra
19 de julho de 2012 - 5h22

Mais uma vez o Festival de Cannes mostrou que não será mais o mesmo.

Com um espaço cada vez maior para palestras e apresentações, que eram disputadas pelos mais diversos profissionais do mercado da comunicação, o Festival esse ano trouxe uma grande reflexão sobre como nosso mercado pode assumir sua responsabilidade na construção de um mundo melhor, mais equilibrado, mais sustentável.

Hoje lideranças de todo o mundo, sejam empresariais ou governamentais, chamam a atenção para projetos de responsabilidade socioambientais e causas com o propósito de mudar o mundo e a publicidade, considerada tão importante no processo de construção e consolidação de tantas marcas. É justamente por isso que a publicidade não pode ficar de fora dessa discussão e precisa assumir seu papel que é cada vez mais importante nesse mundo em transformação.

Segundo Stig Carlson, ex-diretor geral da Associação Europeia das Agências de Comunicação, a publicidade não muda valores nem cria valores novos, mas tem grande habilidade para detectar novos valores entre os consumidores e refleti-los na forma de soluções de criação.

O que quero dizer é que a publicidade pode e deve fazer o que sempre fez: usar seu talento na arte de envolver, criar valor e atrair o consumidor, pois é uma das molas propulsoras da economia. Mas ela pode ir além, pode atuar de forma transformadora na mobilização da sociedade para a construção de um mundo melhor.

Esse convite ocorreu de uma forma efetiva esse ano em Cannes principalmente na palestra do ex-presidente Bill Clinton, que convocou a indústria da comunicação a ajudar na construção de um mundo melhor e reforçou que os profissionais da comunicação têm uma profunda influência sobre como o mundo ficará dentro de 20 a 30 anos e foi reforçado nas apresentações do filósofo Alain de Botton e de Keith Weed, da Unilever.

O fato é que essa responsabilidade assumida pela indústria da comunicação somente poderá gerar frutos com engajamento de todos os envolvidos, a publicidade, a mídia e os anunciantes.

A própria ABAP criou, com a contribuição de diversas entidades, os indicadores de sustentabilidade da comunicação, avançando alguns passos nessa direção. Segundo a ABAP, sustentabilidade é uma questão de consciência: “para comunicar bem, as agências de publicidade precisam que os clientes façam bem – é uma interação que sempre existiu e que poderá ser aprimorada mais ainda em favor das empresas envolvidas e de toda a sociedade”.

Parece que estamos no caminho. Que esse chamamento ocorrido em Cannes desperte uma grande reflexão em toda nossa indústria para que esse papel transformador seja de fato assumido e que possamos participar da construção desse tão sonhado mundo sustentável. 

Publicidade

Compartilhe

Comente

“Meio & Mensagem informa que não modera e tampouco apaga comentários, seja no site ou nos perfis de redes sociais. No site, quando o usuário ler a indicação Este comentário foi apagado’ significa que o próprio comentarista deletou o comentário postado. Não faz parte da política de M&M gerenciar comentários, seja para interagir, moderar ou apagar eventuais postagens do leitor. Exceções serão aplicadas a comentários que contenham palavrões e ofensas pessoais. O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do cadastrado.”