Os 10 profissionais de Mídia de 2021

Buscar
Publicidade

Mídia

Os 10 profissionais de Mídia de 2021

Meio & Mensagem lista os profissionais de veículos e plataformas cujo trabalho se destacou ao longo do ano


21 de dezembro de 2021 - 17h17

Por Sérgio Damasceno e Thaís Monteiro

Como faz anualmente, Meio & Mensagem destaca os profissionais que, pelo estilo de trabalho, características de gestão e pelos avanços conquistados em suas respectivas empresas e áreas de atuação, contribuíram para o avanço e a qualificação da indústria de comunicação.

A lista dos dez profissionais de veículos e de plataformas de mídia apresentada abaixo foi elaborada de acordo com critérios editorais de Meio & Mensagem. Os nomes dos profissionais são apresentados em ordem alfabética.

AD JÚNIOR
Head de marketing do canal de TV paga Trace Brasil, focado na cultura afrourbana, AD Junior está na estrada há muito: escrevia sobre negritude no Orkut, primeira rede social a fazer sucesso no Brasil. Com o fim do Orkut, AD migrou para o canal próprio no YouTube e, depois, para perfil do Instagram. É pesquisador, comunicador e influenciador e apresenta o programa Trace Trends no Multishow e na Globoplay. O canal chegou ao Brasil em 2019 e é braço da empresa francesa Trace. Formado em cross media production and publishing e em literatura inglesa, na Trace, AD, que se divide entre Brasil e Alemanha, aborda realizações de pessoas negras, comenta casos de racismo, fala sobre a cultura e beleza negras e fatos históricos em suas redes. Trace Trends era exibido pela RedeTV e, em maio deste ano, a Trace fechou parceria com a Globo, quando o programa passou à grade do Multishow e ao acervo do Globoplay. Este ano, o Trace Trends teve como apresentadores os ex-BBB Babu Santana e João Luiz Pedrosa, que dividiram o comando com Xan Ravelli e Alberto Pereira Jr.

 

CRIS RÔÇAS
Christian Rôças, ou Crocas, subiu ao palco do Caboré para receber o prêmio do Porta dos Fundos, produtora da qual é CEO, por Veículo de Comunicação – Produtor de Conteúdo, com Antônio Tabet e Ian SBF, sóciosfundadores da empresa. Crocas tem trajetória de relação com redes sociais e conteúdo. Por seis anos, trabalhou no Facebook e Instagram. Antes, comandou a Grudaemmim, focada em projetos para gerar conexão entre fãs, marcas e artistas. Antes dessas experiências, o executivo teve passagens pela Artplan, AdBusiness, Oi, Gradiente e outras empresas. Quando nomeado como CEO do Porta dos Fundos pela ViacomCBS em 2019, a meta era fortalecer a missão da companhia como fomentadora de projetos de conteúdo desenvolvidos para diferentes plataformas. A empresa criou a vertical Porta dos Outros, área que oferece expertise de criação de conteúdo do Porta dos Fundos para marcas que querem se tornar publishers
de conteúdo próprio.

 

EGNALDA CORTÊS
Quando o filho PH começou a se enveredar como criador de conteúdo, em 2015, Egnalda Côrtes pouco sabia do mercado de influência. Naquele ano, quando PH foi chamado para o primeiro acordo de uso de imagem, a mãe deu lugar à empresária. A executiva passou a oferecer cursos sobre a área e a acolher influenciadores que não sabiam como funcionavam as relações publicitárias. Em 2017, Egnalda oficializou a criação da Côrtes Assessoria e Agenciamento, especializada em criadores pretos com a missão de promover seu protagonismo no mercado e criar ações efetivas através da comunicação. Egnalda atende criadores como Gabi Oliveira, Valter Rege, Caçando Estórias, Preta Dotora e Coletivo Resenha das Pretas. Os seis anos na empreitada não são únicos na trajetória da executiva no mercado de trabalho. Egnalda tem 22 anos de mercado corporativo representados por passagens em empresas como a extinta Brasil Telecom, Siqueira & Sene e Flex Contact Center. Além de comandar a Côrtes, Egnalda também dá cursos sobre negócios e palestras.

 

GABRIELA COMAZZETTO
Gabriela Comazzetto, head de global business solutions do TikTok para Latam, recebeu o Caboré deste ano pela empresa como Veículo de Comunicação – Plataforma de Mídia. Há um ano no TikTok, não é a primeira passagem de Gabriela pelas plataformas sociais. A executiva trabalhou no Facebook e no Twitter e, antes, na Microsoft e Ambev. No Twitter, foi responsável por aproximar a plataforma de pequenos e médios negócios, tarefa semelhante ao que faz no TikTok. Este ano, anunciou o TikTok Ads Manager, com pacotes mais flexíveis para anunciar na plataforma. Gabriela esteve à frente de uma série de anúncios e conquistas. Trouxe o TikTok For Business ao Brasil e tem sido responsável por articular formatos inovadores para parcerias com marcas a partir do posicionamento “Don’t make ads, make TikToks”. No último ano, o TikTok adquiriu direitos de transmissões, criou premiação e tem patrocinado campeonatos e programas televisivos.

 

JOÃO PEDRO PAES LEME
A Play9 tem se destacado nos últimos anos pelos projetos especiais de live commerce para marcas na Black Friday, de diversidade para o YouTube, como o YouTube Black, lives para o Enem e outros. A empresa foi a primeira no mercado de influenciadores do Brasil a embarcar na tendência dos non-fungible tokens — NFTs, certificado digital que comprova a autenticidade e propriedade sobre obra de arte, objetos físicos, cenas, músicas ou experiências. Para trabalhar com NFTs, a Play9 lançou a plataforma 9block, que vende cards colecionáveis com artes de heróis e influenciadores. O nome por trás da empresa é João Pedro Paes Leme, CEO e sócio-fundador da Play9, estúdio de conteúdo com agenciados e que realiza produções para marcas. Paes Leme decidiu empreender ao fundar, em 2016, a AlterContent, consultoria de curadoria e gestão de conteúdos e criação de formatos audiovisuais. Em 2017, com o criador de conteúdo Felipe Neto, lançou a agência Take4Content. Ambos deixaram a empresa em 2019 para abrir a Play9.

 

MANZAR FERES
No mesmo ano em que conquistou a posição de primeira mulher a ocupar a liderança da área comercial do maior grupo de mídia da AL, quando assumiu como diretora de negócios em publicidade da Globo, Manzar Feres esteve entre as Women to Watch 2021, foi indicada pela primeira vez ao Caboré e venceu a categoria Profissional de Veículo. No discurso, a executiva agradeceu a receptividade da indústria. Formada em engenharia elétrica e especialista em sistemas e computação, sua carreira passou longe da comunicação. Manzar trabalhou na PwC, IBM e Serasa Experian. A chegada à Globo, em 2019, representou o desafio de adaptação de área e também de renovar a abordagem do grupo em relação às agências e anunciantes. Sob seu comando, a Globo integrou as áreas comerciais das diferentes propriedades para fazer entregas customizadas para clientes. Manzar também é membro do conselho do Talenses Group.

 

RAPHAEL PINHO
Raphael Pinho cofundou a Spark em 2014, com os sócios Ronaldo Nazário, Rafael Coca e Marcus Buaiz, com o objetivo de conectar marcas com influenciadores digitais e profissionalizar o mercado. O executivo é membro do IAB e da European Academy of High Management. É coautor dos livros Memórias de líderes de alta gestão e o que o mercado ensina ao marketing. Este ano, a Spark disputou pela primeira vez e venceu a categoria Serviço de Marketing do Caboré. No palco do prêmio, Pinho disse: “A vitória nos mostra que estamos no caminho certo”. Em julho deste ano, a empresa lançou a operação Skuad, com foco na gestão de marcas em suas campanhas always-on com influenciadores digitais. Com a nova empresa, o grupo adquiriu a possibilidade de construir relações estratégicas de longo prazo entre marcas e influenciadores. A Skuad é estruturada no modelo de squads, com equipes multidisciplinares, organizadas a partir das demandas da marca, com profissionais especializados.

 

RAPHAELLA MARTINS
Raphaella Martins é program manager do Creative X do Facebook. É responsável pela coordenação de esforços relevantes de marketing de marcas locais e globais. Em agosto, Raphaella foi uma das sete mulheres homenageadas pelo Women To Watch. Na ocasião, a profissional afirmou: “Minha próxima inquietação é sobre a urgência de pensarmos nas medidas e ações para que a cadeia de comunicação traga profissionais negros para cadeiras executivas. Não tem como pensarmos num futuro bom e criativo que não considere a maioria da nossa população. Tive que ter coragem porque foram muitos os momentos em que tive medo nessa indústria em que não me vejo. Coragem para ver mais beleza do que erros, para construir pontes que nos conectam ao invés de muros que nos afastam”. Raphaella é uma das fundadoras do projeto 20/20, que trabalha para trazer diversidade ao mercado publicitário e é membro do Black@.

 

RENATA AFONSO
Em abril deste ano, Renata Afonso foi anunciada como CEO da CNN Brasil. A profissional substituiu o idealizador da versão brasileira da emissora de notícias, Douglas Tavolaro, que deixou o canal no fim de março, quando vendeu sua parte ao sócio majoritário da empreitada, Rubens Menin. Renata é formada pelo mercado televisivo: passou pela Band, RedeTV, HBO e trabalhou por 14 anos como a principal executiva da TV TEM, afiliada da Globo no interior de São Paulo. Em entrevista ao Meio & Mensagem, Renata afirmou que o momento político pede cobertura muito forte e isso faz com que o canal tenha boa parte do hard news ancorado no cenário político. “Mas, assim que o ambiente do País melhorar um pouco, acho que há espaço para crescer em outros aspectos. Vejo oportunidade de crescer na parte de negócios. Há outros temas que são importantes que abordemos tanto no soft news quanto no hard news, sob diferentes aspectos”, disse. Uma das novidades deste ano foi a criação de eventos para ampliar os canais de conteúdo e as fontes de receita.

 

SAMANTHA ALMEIDA
Samantha Almeida foi finalista e vencedora da categoria Profissional de Inovação do Caboré deste ano. A executiva foi anunciada, em outubro, como diretora da área de criação e conteúdo dos Estúdios Globo. Antes, foi head do Twitter Next Brasil, posição assumida em agosto do ano passado. A executiva, anteriormente, passou pela Ogilvy Brasil e pela Mynd. Neste ano, foi jurada do Cannes Lions na categoria Entertainment. E, no ano passado, foi uma das homenageadas pelo projeto Women to Watch, de Meio & Mensagem. “Para que pessoas pretas sejam reconhecidas pelo seu trabalho, precisamos ter intencionalidade como teve o Meio & Mensagem de reconhecer carreiras. Que essas carreiras constroem coisas relevantes e que é importante que a gente reveja o que é o significado de inovação, que passa não somente por construir produtos e serviços, mas em pensar o mundo por novas perspectivas, em que caiba todo mundo nele”, disse, no discurso da premiação.

Publicidade

Compartilhe