Spotify expande área de podcasts com aquisição da Ringer

Buscar

Mídia

Publicidade

Spotify expande área de podcasts com aquisição da Ringer

Apesar do movimento, resultados financeiros do serviço de streaming no primeiro trimestre está abaixo das expectativas


6 de fevereiro de 2020 - 15h58

Do Advertising Age

Com o intuito de expandir ainda mais a entrega de podcasts, o Spotify adquiriu a The Ringer, voltada para programas de esportes e entretenimento. No entanto, o desempenho financeiro do serviço de streaming ficou abaixo do esperado no primeiro trimestre de 2020. A receita do quarto trimestre também ficou aquém das expectativas.

Spotify: solução para geração de receita pode estar na expansão da oferta de podcasts (Crédito: Reprodução)

O maior serviço de streaming do mundo também disse que espera uma perda de US$ 71 milhões para US$ 126,8 milhões neste primeiro trimestre.

As ações do Spotify caíram 5,8%, índice mais alto desde agosto, para US$ 145,36 na quarta-feira, 05, em Nova York. As ações tiveram alta de 11% no último ano, com performance abaixo do índice S&P 500.

A empresa vem perdendo dinheiro porque transfere grande parte de sua receita a gravadoras e aos detentores das músicas. A companhia está investindo em podcasts para melhorar seu lucro.

O The Ringer é um site de esportes e entretenimento fundado por Bill Simmons, ex-ESPN, que conta com uma série de podcasts sobre os dois temas. Os termos da venda do veículo para o Spotify não foram divulgados.

Para justificar o investimento em podcasts, Daniel Ek, CEO do Spotify, disse que o consumo do formato cresceu mais de 200% no ano passado. “Compramos a próxima ESPN e achamos que será uma propriedade tremendamente valiosa à medida que olhamos o desenvolvimento dos esportes ao longo da próxima década, e os bilhões de pessoas que começarão a consumir áudio”, afirmou.

Fundada em Estocolmo, a companhia reportou a adição de 23 milhões de usuários ativos mensalmente no quatro trimestre de 2019, ultrapassando as previsões e estabelecendo um recorde para seu crescimento anual.

Em 2019, o serviço conquistou 64 milhões novos usuários, muito mais do que os 25 milhões de 2018.

Embora mais de 140 milhões dos usuários do Spotify acessam a versão gratuita da plataforma, que conta com anúncios, a companhia tem lutado para atrair patrocinadores.

Europa e América do Norte representam 60% da base de assinantes do Spotify. No quatro trimestre, o crescimento do serviço retomou o crescimento nas três regiões mais expressivas para a plataforma: América do Norte, Europa e América Latina. Durante o webcast realizado na quarta-feira, 05, para comunicar os resultados financeiros da empresa, Ek foi questionado sobre o fato de que o crescimento da companhia depende de mercados novos como Ásia e América Latina.

*Crédito da imagem no topo: Divulgação

Publicidade

Compartilhe

  • Temas

  • daniel ek

  • bill simmons

  • Spotify

  • the ringer

  • áudio

  • podcast

  • streaming

  • música

  • ações

  • receita

  • gravadoras