Interação nas redes retorna a patamar pré-pandemia

Buscar

Mídia

Publicidade

Interação nas redes retorna a patamar pré-pandemia

Estudo produzido pela FAAP em parceria com a Socialbakers analisa interações do público com perfis de marcas e celebridades nas redes sociais no último trimestre


10 de novembro de 2020 - 6h03

Com o afrouxamento da pandemia, público voltou a interagir mais com influenciadores (Crédito: blackCAT/iStock)

A pandemia da Covid-19 impactou os hábitos de consumo da população, inclusive, nas redes sociais. Mas, após oscilações, os índices de engajamento nas plataformas estão voltando aos patamares pré-pandemia. A afirmação é fruto do estudo Mídias Sociais 360º, realizado pelo Núcleo de Inovação em Mídia Digital (NiMD) da Faculdade Armando Alvares Penteado (FAAP), em parceria com a Socialbakers.

O levantamento analisa os 100 perfis de marcas e celebridades com mais interações nas redes. Nos três primeiros meses do ano, a pesquisa identificou um salto nos números dos perfis de celebridade. A média de interações por post chegou a 150.385, um crescimento de 20,5% em relação ao trimestre anterior. Já no auge na pandemia, entre os meses de abril, maio e junho, a média de curtidas e comentários nos perfis de celebridades caiu para 86.503.

Agora, no trimestre que compreende julho, agosto e setembro, as interações voltaram a subir, alcançando 102.030. A média é próxima à registrada no mesmo período em 2019, que marcou 105.637 curtidas e comentários por post de celebridade. Para os desenvolvedores da pesquisa, a oscilação é um reflexo da falta de entendimento sobre o papel dos criadores de conteúdo durante o isolamento social, quando muitos precisaram rever seu campo de atuação. Mas, com o afrouxamento, o público estaria voltando a acompanhar a produção dos influenciadores.

Marcas na rota de crescimento

Enquanto os influenciadores registraram mudanças no engajamento, as marcas seguem uma tendência de alta no que diz respeito à média de seguidores em seus perfis. Na comparação com o terceiro trimestre do ano passado, houve um crescimento aproximado de 22% entre as 100 principais marcas acompanhadas no Instagram.

Já no Facebook, o estudo apontou uma estagnação. Entre julho e setembro do ano passado, o segmento Marcas/Institucional teve uma média de 2.697.511 curtidores. No mesmo período de 2020, o número registrado foi de 2.664.168. Contrariando as expectativas, a categoria E-commerce apresentou leve declínio no estudo. No terceiro trimestre de 2019, a média era de 1.729.220 seguidores no Facebook. Em 2020, a média do mesmo período foi de 1.664.357. O destaque na plataforma foi o setor de Entretenimento, que registrou o maior engajamento no período analisado.

*Crédito da foto no topo: iStock

Publicidade

Compartilhe