Pinterest: anúncios sempre foram sobre inspiração

Buscar

Mídia

Publicidade

Pinterest: anúncios sempre foram sobre inspiração

Plataforma defende seu ambiente positivo como diferencial com o qual as marcas podem se aliar

Thaís Monteiro
12 de maio de 2021 - 17h33

No evento Pinterest Presets, realizado nesta quarta-feira, 12, o Pinterest apresentou ao mercado publicitário as oportunidades e formatos para anúncios na plataforma. Estiveram presentes em conteúdos gravados André Loureiro, diretor executivo para a América Latina do Pinterest; Bruna Toni, líder de marketing para a América Latina do Pinterest; Ana Luiza McLaren, confundadora do Enjoei, para falar sobre negócios; Dan Lurie, head global de shopping do Pinterest; Ana Maria Braga, para falar sobre influência; Andréa Mallard, diretora de marketing do Pinterest; e o CEO e fundador Ben Silbermann, que afirmou: “Anúncios sempre foram sobre inspirar para o futuro. O melhor marketing é mostrar cenários possíveis”.

 

(Crédito: Charles Deluvio/Unsplash)

De acordo com pesquisa do Pinterest em 2020, 97% das buscas não possui termos de marca e 85% dos usuários afirma que elas acessam quando querem começar um novo projeto. No ano passado, os brasileiros realizaram quatro bilhões de buscas. De acordo Loureiro, nessa atividade, os usuários estão abertas para novas marcas ou produtos. “No Pinterest, você chega neles no momento da inspiração e antes de eles saberem seu nome ou te buscarem”, disse o executivo.

Para a plataforma, o conteúdo criado e consumido pelos usuários, que envolvem atributos como positividade e inspiração, é vantajoso para que marcas estejam presentes na plataforma. Atualmente, a plataforma soma 46 milhões de usuários no Brasil e 450 milhões globalmente. A maioria dos usuários são mulheres, mas o público que mais cresceu no Pinterest foram homens e geração Z. Os conteúdos mais consumido são das categorias alimentação, decoração, reforma, artesanato, dicas de filmes, saúde física e mental, e beleza e cosméticos.

Segundo o estudo, se marcas aparecem ao lado de conteúdos negativos, as pessoas presumem que o anunciante endosse a mensagem. Além disso, é mais provável que usuários confiem e comprem marcas que aparecem em ambientes positivos. Em ambientes positivos, as marcas são capazes de gerar impacto em todos os estágios do funil de compras.

Silbermann, CEO do Pinterest, afirmou que a plataforma não é o lugar para consumir notícias, usuários se compararem uns com os outros ou para debates. “É um espaço positivo para se inspirar. Isso é refletido: 95% dizem que é um lugar que os inspira. Anúncios sempre foram sobre inspirar para o futuro. Os CMOs com quem converso dizem que se tornaram profissionais de marketing porque adoram inspirar pessoas com storytelling. O melhor marketing é mostrar cenários possíveis”, disse.

A plataforma também aproveitou para apresentar alguns de seus formatos, como os Stories Pins, que, ao contrário do formato em demais redes sociais, ficam disponíveis para além de 24 horas para mostrar, em vídeo, boas ideias atuais e que podem servir para o futuro. Eles aparecem nas busca. Recentemente, o Pinterest disponibilizou sua aba shopping e a possibilidade de marcas cadastrarem seus produtos e criar uma vitrine virtual para a compra e peças para aparecer no feed de busca do usuário.

Dan Lurie, head global de shopping do Pinterest, contou que a empresa visa replicar um pouco da experiência de compra natural e espontânea em ambientes físicos para a plataforma. “Como compradores queremos mais: buscar, descobrir, considerar opções, experimentar, toda a experiência. Espontaneidade é a parte divertida de comprar no ambiente física. É isso que estamos fazendo no Pinterest. Você pode se inspirar com ideias e, de repente, chegar a um produto que gosta”, explica. Além disso, o Pinterest também conta com formatos de anúncios em imagens, vídeos e carrossel e testa filtros de AR para que usuários possam experimentar maquiagens.

**Crédito da imagem no topo: Divulgação/Pinterest

Publicidade

Compartilhe