Ricardo Melo deve reassumir presidência da EBC

Buscar

Últimas notícias

Publicidade

Ricardo Melo deve reassumir presidência da EBC

Dias Toffoli, ministro do Supremo Tribunal Federal, deferiu pedido de liminar de exoneração da Empresa Brasil de Comunicação


2 de junho de 2016 - 19h28

Ricardo Melo, que foi exonerado do cargo de diretor-presidente da Empresa Brasil de Comunicação (EBC), poderá reassumir o cargo até o julgamento do mandado de segurança. A decisão, que suspende a portaria presidencial de exoneração, foi do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Dias Toffoli, anunciada nesta quinta-feira, 02.

A medida entra em vigor assim que os envolvidos no projeto sejam notificados, inclusive a Presidência da República, autora da portaria de exoneração de Melo, segundo a assessoria de imprensa do STF.

O jornalista Ricardo Melo, que foi nomeado diretor-presidente da EBC em 3 de maio, foi afastado da função quando Michel Temer assumiu o governo interinamente, no dia 17 – mesmo dia em que o decreto foi assinado e publicado no Diário Oficial da União. A decisão fere, segundo a EBC, a legislação vigente porque o mandado é de quatro anos. Em comunicado enviado à imprensa, a EBC afirmou que o dirigente da entidade deveria ter posição fixa e “não coincidente com os mandatos de Presidentes da República, para assegurar a independência dos canais públicos, tal como ocorre nos sistemas de radiodifusão pública de outros países democráticos”.

Três dias depois, em 20 de maio, o jornalista Laerte Rimoli foi oficializado como diretor-presidente da empresa. Rimoli foi coordenador de comunicação da campanha do senador Aécio Neves, em 2014.

Melo recorreu da decisão presidencial argumentando que apenas razões legais ou o Conselho Curador da EBC podem destituir os ocupantes dos cargos de diretor-presidente e de diretor-geral da empresa. Durante a análise do pedido do mandado de segurança, a Advocacia-Geral da União (AGU) informou os dirigentes “podem ser exonerados a qualquer tempo pelo Presidente da República, não havendo a higidez do termo ‘mandato’ a que se referem os dispositivos citados”.

 

A carreira de Melo inclui passagens pela Folha de S.Paulo, SBT, Diário de São Paulo, Band, Globo e Portal Terra. Melo exerceu ainda o cargo de editor da revista Brasil Investe do jornal Valor Econômico e foi repórter especial da Revista Exame.

Este ano, a EBC passou por outras mudanças. Pedro Varoni assumiu como diretor-geral, vaga até então ocupada por Asdrúbal Figueiró, que pediu desligamento da emissora ao mesmo tempo o diretor-presidente Américo Martins, no início de fevereiro. A dupla de comando esteve por um ano na companhia. Pouco tempo antes do anúncio, atravessaram um período delicado na empresa, que envolveu uma greve de funcionários formalizada junto a sindicatos.

Publicidade

Compartilhe

  • Temas

  • Ricardo Melo

  • dias toffoli

  • Michel Temer

  • EBC

  • supremo tribunal federal

  • exoneração

Comente