A decisão do STF, Trump vs. China…

Buscar
Publicidade

Últimas notícias

A decisão do STF, Trump vs. China…

...e outros trends desta quinta-feira, 5 de abril


5 de abril de 2018 - 8h23

(Crédito: STF/Divulgação)

Hoje, 5 de abril de 2018, repercute a decisão do Superior Tribunal Federal que votou, ontem, contra o habeas corpus de Luiz Inácio Lula da Silva (no placar geral, seis a cinco). Condenado no caso do triplex do Guarujá (SP), o ex-presidente apelou à Corte para permanecer’livre até recorrer em todas as instâncias possíveis. Uma nota oficial do PT afirmou que não houve justiça na decisão e que “defenderá esta candidatura nas ruas e em todas as instâncias, até as últimas consequências“. De fato, independentemente desse resultado, é possível que partidários registrem a candidatura de Lula pois, segundo ‘reportagem do Estadão, não há impedimento do ponto de vista do direito eleitoral. Além disso, ele ainda teria um recurso em segunda instância, no mesmo TRF-4, em Porto Alegre, que primeiro lhe condenou. Agora cabe ao juiz Sergio Moro expedir uma ordem de prisão à Polícia Federal. Manifestações, contra e a favor, devem pipocar nas principais cidades hoje.

Na quarta-feira o imbróglio entre China e Estados Unidos sobre tarifas de comércio entre os países tomou novos rumos, com o país asiático ameaçando, pela primeira vez, uma retaliação de 25% sobre importações americanas. Até então, os chineses liam os tuítes de Donald Trump como quem acompanha a página de quadrinhos do jornal. Em sua verborragia típica, o presidente dos EUA disse que o país já não tinha mais nada a perder e cortaria US$ 50 bilhões em bens chineses, embora cerca de um terço da produção de soja americana seja vendido à China (só em 2017 foram US$ 14 bilhões). O impasse deve escalar nos próximos dias.

Apesar da tensão, o mercado de ações norte-americano se descolou do caso e também da maré baixa das empresas de tecnologia, que tem patinado há dias, exceto pela abertura exitosa do Spotify. O índice Dow Jones subiu 230 pontos ontem, com ganho de 1%, passando os 24.400 pontos de segunda-feira, 2 (o ápice da semana). No mês, acumula queda de 2,42%. A necessidade de retomada fez analistas reforçarem o coro do desapego, segundo a CNN Money, lembrando que a briga entre China e EUA segue a um roteiro diplomático, considerando o quanto ambas as indústrias são interdependentes em diversas esferas da cadeia produtiva, sejam insumos, commodity, tecnologia ou bens de consumo. A ver se o otimismo sobrevive até sexta.

The New York Times e The Guadian continuam mantendo a reputação de maiores pedras nos sapatos das gigantes de tecnologia. Depois de revelarem o cado da Cambridge Analytica e do Facebook, foi a vez de o Google sentir-se envergonhado. Os jornais vazaram uma carta interna, redigida por funcionários e encaminhada ao CEO Sundar Pichai, pedindo que a empresa interrompa desenvolvimento de projetos de vigilância militar com inteligência artificial para o Pentágono. Mais de 3,1 mil funcionários assinaram o documento, que lembrou um dos principais motes do Google: “Não seja do mal” (“Don’t be evil”). A íntegra, em inglês, está neste link.

Mark Zuckerberg, CEO do Facebook (Crédito: Justin Sullivan/Getty Images)

A lama do Facebook continua, no entanto, mais pegajosa. Ontem, a empresa revelou que mais de 87 milhões de pessoas tiveram dados comprometidos devido às estratégias da Cambridge Analytica. Entre elas, 500 mil brasileiros — oitavo mercado mais atingido entre os top 10 relatados. O Ministério Público do Distrito Federal já havia aberto inquérito para investigar os efeitos do problema no Brasil e deve, agora, anexar uma nova página ao documento. Ontem, o MP-DF também abriu investigação contra a operadora Vivo, da Telefonica, por problema semelhante, informa a Exame.

A Viacom deve apresentar nos próximos dias uma contraproposta à oferta de compra da CBS. A mídia americana tem especulado a programadora de canais como MTV e Nickelodeon considerou a oferta de troca de ações aquém do valor de mercado da empresa, de US$ 12,5 bilhões.

A coisa mais legal que você viu na quarta-feira foi o ator Chris Pratt comendo feijoada. No Instagram, onde também aparece praticando jiu-jitsu, confessa que se esbaldaria todo dia no típico prato brasileiro, aos goles de caipirinha. Ele está em São Paulo para promover Vingadores: Guerra Infinita, onde interpreta Star-Lord, e participou de um evento com fãs na noite de ontem. Ele ainda está pela região dando seu giro com a atriz Pom Klementieff, que faz a personagem Mantis, no mesmo filme.

https://www.instagram.com/p/BhKJYvZDCnc/

 

 

 

Publicidade

Compartilhe

Comente