Meta congela contratações e anuncia reestruturação de equipes

Buscar

Meta congela contratações e anuncia reestruturação de equipes

Buscar
Publicidade

Mídia

Meta congela contratações e anuncia reestruturação de equipes

Movimentação pode ser resultado da diminuição da receita de publicidade em meio à concorrência com outras plataformas


30 de setembro de 2022 - 10h12

*Do AdAge com informações da Bloomberg News

A Meta, detentora do Facebook e do Instagram, apontou que vai congelar contratações e reestruturar algumas equipes a fim de cortar custos e promover mudanças nas prioridades da companhia.

Em julho, a Meta registrou a primeira queda de receita em sua história (Crédito: Shutterstock)

O anúncio foi feito pelo CEO, Mark Zuckerberg, durante uma sessão semanal de perguntas e respostas com os funcionários, conforme contou uma pessoa presente. Ele acrescentou que a empresa reduziria os orçamentos da maioria das equipes – até mesmo daquelas que estão crescendo. Já as equipes individuais terão que resolver como lidar com as mudanças no número de funcionários, ainda que isso signifique não preencher funções de colaboradores que sejam desligados, alocar pessoas para outras equipes ou trabalhar para “gerenciar funcionários que não estão tendo sucesso”, conforme indica a Bloomberg.

“Eu esperava que a economia já estivesse mais estabilizada, mas pelo que estamos vendo, parece que ainda não, então queremos nos planejar um pouco de maneira conservadora”, diz Zuckerberg. Procurados, porta-vozes da Meta se recusaram a comentar.

Os novos cortes de custos e o congelamento de contratações da Meta são sua mais clara admissão de que o crescimento da receita de publicidade está diminuindo, em meio à crescente competição pela atenção dos usuários. A Meta afirmou no início deste ano que planejava desacelerar as contratações de alguns cargos de gerenciamento e adiou a disponibilização de vagas em período integral para estagiários no último verão. A movimentação foi necessária porque, segundo Zuckerberg, “queremos ter certeza de que não estamos adicionando pessoas a equipes onde não esperamos ter funções no próximo ano”.

Histórico de contenção

Em julho, o CEO alertou que a gigante da tecnologia “reduziria firmemente o crescimento do número de funcionários” e que “muitas equipes vão diminuir para que possamos transferir energia para outras áreas”. As prioridades internas incluem o Reels, concorrente do TikTok, e o plano futurista de Zuckerberg para a Internet, conhecido como metaverso.

A Meta contabilizava mais de 83.500 funcionários no final de junho e realizou 5.700 novas contratações no segundo trimestre. Na conferência da última quinta-feira, Zuckerberg apontou que a empresa seria “um pouco menor até o final de 2023”.

Durante a teleconferência de resultados do primeiro trimestre, a Meta deixou registrado que as despesas anuais seriam cerca de US$ 3 bilhões menores do que as inicialmente projetadas, reduzindo uma faixa estimada em US$ 95 bilhões. Em medidas anteriores para reduzir gastos, o desenvolvimento de um relógio de câmera dupla que a empresa estava construindo para competir com o Apple Watch foi encerrado.

Publicidade

Compartilhe

Veja também

  • Netflix conquista 8 milhões de novos assinantes no segundo trimestre

    Netflix conquista 8 milhões de novos assinantes no segundo trimestre

    Plataforma de streaming superou as projeções, impulsionada pela opção de assinatura com anúncios publicitários

  • Record aposta em Marcia Fu para abordar Olimpíada no digital

    Record aposta em Marcia Fu para abordar Olimpíada no digital

    Canal da Fu! abordará assuntos diversos, tendo como início os Olímpicos de Paris, para aproveitar a experiência da ex-atleta