Chilli Beans de olhos bem abertos a novas oportunidades

Buscar

Marketing

Publicidade

Chilli Beans de olhos bem abertos a novas oportunidades

Caito Maia, fundador da rede, explica o interesse pelo segmento de óculos sob prescrição médica

Roseani Rocha
10 de junho de 2019 - 16h41

Fachada da primeira loja, inaugurada no shopping Cidade São Paulo (Crédito: Divulgação)

Recentemente, a Chilli Beans inaugurou no shopping Cidade São Paulo, na Avenida Paulista, sua primeira unidade de uma nova rede que pretende estruturar: a Ótica Chilli Beans. Em suas lojas tradicionais, onde atua há mais de 20 anos, a rede já tinha parte das vendas voltada aos óculos de grau, mas as novas lojas serão 100% dedicadas a esse tipo de serviço.

A iniciativa é ancorada em dados, como os do IBGE, de que 20% da população brasileira possuem algum problema de visão. Com seu negócio atual, cuja expansão ocorreu pelo modelo de franquias, a Chilli Bens registrou em 2018 faturamento de R$ 650 milhões. Já com as óticas, a expectativa é, nos próximos cinco anos, atingir faturamento de R$ 250 milhões ao ano e abrir 400 lojas nesse período (por ora, no entanto, as aberturas de lojas estão sendo negociadas com os franqueados já existentes da Chilli Beans).

As óticas, por oferecerem um serviço mais ligado à saúde efetivamente, terão ambientes mais reservados e aconchegantes, assim como equipes especializadas nesse tipo de atendimento. Sua comunicação deverá ser tocada pela agência atual da marca “Pimenta”: a Fracta Moma e seguir o estilo de trabalhar muito redes sociais como Facebook e Instagram, assim como investir, eventualmente, em comerciais de TV.

Na entrevista a seguir, Caito Maia, fundador da rede, comenta a nova iniciativa, com a qual quer mostrar novamente que sua visão de negócios continua tão acurada quanto há 20 anos.

Caito Maia: remando contra a maré do varejo (Crédito: Divulgação)

 

Meio & Mensagem – Além da pesquisa de mercado indicando que os óculos de grau são três vezes mais consumidos que os de sol no Brasil, o contexto econômico atual tem prejudicado a performance das vendas dos óculos de sol? Como tem estado esse negócio no qual vocês já estavam?

Caito Maia – Na verdade as informações que temos são de que atualmente 19% da população brasileira usa óculos de grau, isso falando apenas dos números apurados, ou seja, infelizmente sabemos que no Brasil ainda muitas pessoas possuem essa necessidade, mas não têm acesso ao oftalmologista, então possivelmente este percentual é ainda maior. Além disso, nos últimos três anos houve um crescimento médio anual de 13% na demanda de uso de óculos de grau, em função do uso excessivo de telas como celulares, tablets, computadores etc. Infelizmente, o contexto econômico atual não tem contribuído com o varejo em geral, e este é um cenário que não gosto de ver, apesar de, nos óculos de sol, nós estarmos atingindo os números e apresentando dados de crescimento com relação ao ano anterior. Seguimos fazendo o nosso trabalho de casa, e acreditando que com nossos esforços, de todos empresários, a situação econômica vai sim melhorar.

 

M&M – Existem óticas tradicionais no mercado, com redes grandes também. Não têm receio de perder um pouco a identidade da Chilli Beans, com esse novo serviço?

Caito – A proposta da Ótica Chilli Beans é manter o que já fizemos no passado, ou seja, inovar no segmento ótico.  Seremos a única monomarca no segmento, com um projeto que traz o design e o estilo já conhecido da Chilli Beans, aliados à tecnologia das melhores lentes do mercado, através do grupo Essilor, que é nosso grande parceiro. O ambiente da loja é totalmente diferenciado e cheio de personalidade, nos inspiramos numa barbearia cubana da década de 1920, para criar um espaço em que o consumidor de óculos de grau possa consumir moda e estilo,  com a liberdade que a Chilli Beans proporciona, o consumidor fica livre para circular pela loja, experimentar modelos exclusivos, e só vai sentar-se para escolha das lentes quando tiver encontrado suas armações perfeitas.

Projeto mais intimista para as óticas (Crédito: Divulgação)

M&M – Como vão trabalhar as óticas, em termos de publicidade, em relação às lojas/quiosques tradicionais? (aliás, têm agência trabalhando com vocês? Em que canais de mídia e situações/campanhas?)

Caito – Neste primeiro momento, vamos manter a mesma estrutura de marketing e comunicação da marca para atender as demandas de ótica, obviamente que sempre considerando as diferenças de tom de comunicação e target entre uma marca e outra. Porque no final do dia, a essência e os valores da Pimenta são os mesmos, o que muda é como e para quem estamos falando.

 

M&M – Vocês disseram que as armações para óculos de grau já representavam 12% do faturamento total da empresa. Com as óticas, qual a estimativa em relação à representatividade que elas terão no negócio da Chilli Beans?

Caito – Aqui temos duas situações distintas. A primeira são as lojas Chilli Beans que você já conhece e que também vendem óculos de grau, aqui seguimos enviando esforços para o crescimento nos números de  grau, e pretendemos fechar o ano de 2019 com uma participação de 22% na categoria, incluindo a venda de lentes, hoje este número é de 20% com lentes.  No segundo caso, teremos a Ótica Chilli Beans como uma nova unidade de negócio com suas próprias metas e números, neste caso imaginamos ter uma participação em grau de 75%.

 

M&M – Onde estarão as próximas três lojas e quando exatamente serão inauguradas?

Caito – Teremos duas novas lojas ainda neste semestre, uma delas em Florianópolis, no Floripa Shopping e a segunda em Barueri, no Shopping Tamboré.  Temos dez aberturas programadas ainda para 2019.

 

M&M – Quem desenvolveu o novo modelo de loja das Óticas?

Caito – O projeto foi desenvolvido pelo Gustavo Menegazzo, que além de ser um grande profissional e amigo, é responsável pelos projetos arquitetônicos da Chilli Beans há vinte anos.  A Menegazzo Design e Arquitetura é especialista em projetos comerciais, e, também foram responsáveis pela recente reforma da nossa flagship, na rua Oscar Freire. Na ótica, investimentos em um projeto totalmente diferente do que a marca já fez, criando uma atmosfera única que mistura cimento queimado, madeira e metal.  O projeto de visual merchandising também foi todo pensado para conectar o consumidor com o produto, a displayagem no interior da loja segue uma separação por shape e material, fazendo com que o consumidor encontre mais facilmente seu modelo ideal. Os displays possuem espaços de comunicação que contam mais detalhes sobre os produtos. Além disso, no interior da loja há um espaço exclusivo para seleção de lentes, onde o consumidor poderá conhecer com calma e com o suporte de atendimento especializado, quais as melhores opções de lente e tecnologia para a sua necessidade.

 

M&M – Qual o valor médio de uma franquia da Ótica Chilli Beans e das lojas regulares?

Caito – Ainda não abrimos a comercialização deste modelo para o mercado, pois vamos priorizar, incialmente, os nossos franqueados que já estão na rede. Mas imaginamos trabalhar com um investimento inicial médio de R$ 230 mil para este modelo de negócio. Atualmente, o investimento inicial para a loja Chilli Beans é de R$ 172 mil.

Ótica Chilli Beans: expectativa de 400 lojas em cinco anos (Crédito: Divulgação)

Publicidade

Compartilhe

  • Temas

  • Caito Maia

  • Chilli Beans

  • Ótica Chilli Beans

Comente

“Meio & Mensagem informa que não modera e tampouco apaga comentários, seja no site ou nos perfis de redes sociais. No site, quando o usuário ler a indicação Este comentário foi apagado’ significa que o próprio comentarista deletou o comentário postado. Não faz parte da política de M&M gerenciar comentários, seja para interagir, moderar ou apagar eventuais postagens do leitor. Exceções serão aplicadas a comentários que contenham palavrões e ofensas pessoais. O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do cadastrado.”