Como a Lego está celebrando o Dia Internacional da Menina

Buscar

Marketing

Publicidade

Como a Lego está celebrando o Dia Internacional da Menina

A marca se aliou ao Instituto Geena Davis para celebrar o empoderamento feminino através de campanha lançada nesta segunda-feira, 11


11 de outubro de 2021 - 15h53

*Por Sydney Gold, do AdAge

A Lego estreia nesta segunda-feira, 11, a campanha “Ready for Girls”, para celebrar o Dia Internacional da Menina, o mais recente de vários esforços de branding inclusivos da marca. A campanha coincide com o lançamento de uma pesquisa feita pela Lego junto ao Instituto Geena Davis sobre Gênero na Mídia, que visa entender de que maneiras os papéis de gênero influenciam e limitam as crianças. A divulgação será feita nas plataformas digitais de Lego. 

 

Ação produzida visa empoderar meninas ao redor do mundo (Crédito: Reprodução)

A ação, produzida pela The Lego Agency, inclui três filmes celebrando meninas empreendedoras de todo o mundo, bem como um guia de dez passos para brincadeiras inclusivas. Esta não é a primeira iniciativa de marketing inclusivo da Lego. Em março, a marca reformulou um icônico comercial dos anos 1980 para celebrar o Dia Internacional da Mulher. Além disso, em maio, assinou a primeira coleção de peças em comemoração ao mês do orgulho LGBTQIA+. 

“[Lego] claramente quer assumir uma posição de liderança ao lançar esta campanha ‘Ready for Girls’ e realmente celebrar as meninas ao redor do mundo para superar os estereótipos de gênero antiquados. Nós apoiamos muito os esforços porque eles realmente querem ser líderes nessa área, o que eu acho fantástico ”, disse Geena Davis, atriz, ativista e fundadora do Instituto Geena Davis, que defende o equilíbrio de gênero. 

Os dados mostram o estigma em torno de “brinquedos para meninas” e “brinquedos para meninos” entre as crianças, e mostram que 74% dos meninos e 62% das meninas concordam com a afirmação, “algumas atividades são destinadas apenas para as meninas fazerem, enquanto outras são destinadas aos meninos”. “Descobrimos, por um lado, que as meninas estão prontas para o mundo, mas a sociedade ainda não está realmente pronta para apoiar seu crescimento”, afirma Davis.

Julia Goldin, diretora de marketing e produto do Grupo Lego, vê a pesquisa como uma oportunidade para a marca ajudar a eliminar as distinções de gênero dos brinquedos. “Acreditamos que é necessário que a sociedade reconstrua percepções, ações e palavras para apoiar o empoderamento criativo de todas as crianças, e que o Grupo Lego tem um papel importante a desempenhar neste processo ”, explica Goldin. 

Embora a campanha “Ready for Girls” se foque nas meninas, os resultados revelaram que os meninos têm mais medo de participar de atividades ou brincadeiras consideradas femininas. Enquanto 42% das meninas se preocupam em ser ridicularizadas por brincar com “brinquedos de menino”, 71% dos meninos se preocupam em ser ridicularizadas por desfrutar de atividades ou brinquedos tipicamente associados a meninas. O estudo mostra  dois fatores potenciais que podem contribuir para essa tendência – que as meninas têm sido ativamente encorajadas a buscar atividades dominadas pelos homens, além do fato de que atividades masculinas tendem a ser mais valorizadas. 

A pesquisa conclui que os pais são tão culpados quanto os filhos neste processo apontando que eles têm quase seis vezes mais probabilidade de pensar em cientistas e atletas como homens do que mulheres — 85% contra 15% — e oito vezes mais probabilidade de pensar em engenheiros como homens do que mulheres — 89% e 11%, respectivamente. Ainda, os filhos  entrevistados tinham crenças semelhantes.

“É interessante que as meninas estão se vendo de uma forma mais ampla, mais evoluída, mais do que seus pais”, disse Davis. 

A marca de brinquedos planeja continuar buscando mais inclusão. “Temos explorado diferentes pontos de paixão e padrões de jogo, bem como investindo em comunicação para garantir que a marca Lego permaneça relevante e inclua os gêneros por anos. Nossa equipe de percepções globais do Grupo Lego está constantemente buscando padrões de brincadeira e percepções em relação a isso entre as crianças e seus pais em todo o mundo ”, explica Goldin.

A Lego teve um lucro alto em 2020, registrando cerca de US$ 7 bilhões em crescimento de vendas. A tendência não diminuiu em 2021: durante o primeiro semestre deste ano, a marca apresentou um crescimento de 46% em receita.

Confira filme completo abaixo:

 

*Tradução por Giovana Oréfice

**Credito da imagem de topo: audioundwerbung/iStock

 

Publicidade

Compartilhe