TV paga: com ou sem legenda?

Buscar

Mídia

Publicidade

TV paga: com ou sem legenda?

Canais adotam mais a dublagem, transformando-a em padrão, mas buscam segurar a atenção da base que prefere o áudio original

Bárbara Sacchitiello
17 de abril de 2012 - 11h30

* Com Nathalie Ursini

Em uma rápida zapeada pelos canais da TV paga é possível perceber que a maioria das vozes dos filmes, seriados e documentários fala português. Se no início a tradução das produções estrangeiras tinha o objetivo de democratizar o acesso ao entretenimento, atualmente a dublagem é vista, pelos players do segmento, como mais uma das opções que devem ser oferecidas aos espectadores para qualificar a experiência de assistir à TV.

“Quanto mais opções oferecermos, melhor. É comum relacionar o crescimento das produções dubladas à expansão da classe C, mas a seleção do idioma está mais ligada ao hábito da família do que à classe social”, acredita Anthony Doyle, vice-presidente da Turner, que no Brasil opera canais como TNT – que exibe filmes dublados há mais de uma década – Cartoon Network, Space, Boomerang e TCM, entre outros. “Assistir a filmes na TV é totalmente diferente da experiência do cinema. Quando está em casa, muitas vezes ela está apenas ouvindo a TV, mas sem prestar a atenção na imagem. Nesse ambiente, o áudio dublado acaba se tornando mais propício”, afirma Doyle.

Proporcionalidade e equilíbrio. Esses são os fatores que os canais pagos devem considerar na distribuição de conteúdo dublado e legendado, ao menos no entender da Associação Brasileira de TV por Assinatura (ABTA). “A postura fundamental é ir ao encontro do interesse de determinados públicos, entregando os dois tipos de conteúdo em proporções adequadas”, explica Alexandre Annemberg, presidente da entidade. 

Pipoca em português

Apesar de oferecer a opção do áudio e da legenda eletrônica (que permite que os assinantes escolham o idioma pelo controle remoto) em todos os seus canais — com exceção do Cult —, a rede Telecine, da Globosat, reconhece que a dublagem vem angariando um espaço bem maior em sua estratégia de negócios. Lançado em 2004, o Telecine Pipoca, com filmes 100% em português, já é o líder de audiência da rede, segundo o Ibope Media Workstation. “Isso prova que os títulos dublados agradam muito aos assinantes. E não é só a classe C que tem essa preferência. O Pipoca foi o canal mais assistido da rede Telecine pelas pessoas de classes A e B com mais de 18 anos em 2010 e em 2011”, ressalta Sovero Pereira, diretor de marketing da rede Telecine. A Globosat também tem o canal Megapix, que exibe filmes com áudio 100% em português.

Outra rede de canais que já percebeu os frutos que a dublagem pode render foi a Discovery. Os três principais canais do grupo no Brasil — Discovery Channel, Discovery Kids e Animal Planet — já têm 100% de sua programação falada em português. “Naturalmente, existe quem prefira a legendagem à dublagem, mas o número de solicitações para isso é pequeno”, explica André Rossi, diretor de programação da Discovery Networks no Brasil. Embora ofereça a opção de assistir aos documentários e programas com o áudio em inglês — sem legendas —, a Discovery não esconde que a tradução irá prevalecer. “A dublagem é a linha seguida para nossos canais e tende a ganhar ainda mais espaço em nossas grades de programação”, diz Rossi.
 

wraps

Defensores da legenda

Enquanto a maioria abre espaço para a língua portuguesa, alguns canais preferem conservar as legendas.“A disseminação da dublagem é questão de tempo, mas é importante que esse processo seja promovido gradualmente. Nosso diferencial é exibir as séries de maior sucesso com legenda. Isso agrada muito ao público adulto”, esclarece o diretor do Universal Channel, Paulo Barata. Entre os principais produtos do canal Universal estão as séries House, Law & Order e The Good Wife.

O vice-presidente e gerente-geral da Sony Pictures Television no Brasil, Alberto Niccoli Junior, concorda. “Nosso maior compromisso é com o gosto e hábito dos nossos assinantes. Não basta dublar, é preciso oferecer a opção legenda e áudio original ao mesmo tempo’, diz. Atualmente, a Sony reserva apenas duas­ faixas de horários para a programação dublada: a reapresentação de temporadas antigas dos seriados CSI e Grey’s Anatomy.
 

wraps

Publicidade

Compartilhe