Metrô de SP terá espaços de wi-fi patrocinados por marcas

Buscar

Mídia

Publicidade

Metrô de SP terá espaços de wi-fi patrocinados por marcas

A partir deste mês, 40 estações passarão a contar com o serviço, que poderá ser explorado por marcas que queiram veicular campanhas e expor mensagens publicitárias

Bárbara Sacchitiello
1 de fevereiro de 2017 - 13h10

Wi-fi-Metro

Área de uso de wi-fi da estação Sé (Crédito: Divulgação)

Quarenta estações de metrô da cidade de São Paulo oferecerão wi-fi gratuito para seus usuários a partir do início de março. O novo serviço será implementado por meio de parceria com a iniciativa privada: marcas e empresas poderão patrocinar as áreas de conexão  em troca de veiculação de publicidade nos ambientes e na própria internet.

Desde o final de 2014, os usuários do sistema de transporte já podem se conectar gratuitamente ao wi-fi em seis estações da cidade: Sé, Vila Prudente, Tamanduateí, Paraíso, Jabaquara e Ana Rosa. Agora, o serviço será estendido para outras 34 estações Nessas seis estações que já contam o serviço, os equipamentos serão substituídos e também serão criados espaços para a utilização da rede. A meta, segundo o Metrô, é levar o wi-fi para toda a extensão das linhas.

O sinal de internet será acessível em toda a extensão das estações, com exceção da área das plataformas, por medida de segurança do metrô. Para viabilizar o projeto, o governo realizou chamamento público e a empresa N1 Telecom foi escolhida para implementar o serviço nas primeiras 40 estações.

De acordo com a companhia, o usuário que desejar utilizar a conexão terá de fazer um cadastro e, a partir daí, poderá usar livremente o wi-fi por 15 minutos. Após esse período, caso queira continuar utilizando a internet, é necessário fazer uma nova conexão. O Metrô explica que não há limite de conexões por pessoa.

Além de disponibilizar o sinal, o Metrô também irá criar alguns espaços de convivência para que os usuários aproveitem a conexão. Sé, Brás e Ana Rosa serão as primeiras estações a oferecer essas áreas, que terão cadeiras de praia e grama sintática. São nesses ambientes que acontece a participação da iniciativa privada: empresas interessadas em estruturar os ambientes poderão se envolver no projeto. Em troca, elas poderão exibir sua marca nos espaços e, também, veicular publicidade na página inicial de conexão.

O Metrô já elaborou um projeto comercial para atrair as marcas para seu programa de wi-fi. A ideia é que, em março, quando as 40 estações já contarem com o serviço, algumas marcas já comecem a atuar no projeto.

O cronograma de oferecimento do wi-fi foi dividido em suas etapas. A partir do próximo dia 5, passam a contar com o serviço de conexão gratuita as estações Armênia, São Joaquim, Vergueiro, Paraíso, Ana Rosa, Santa Cruz, Santana e Jabaquara (linha Azul); Brigadeiro, Trianon-Masp, Tamanduateí e Vila Prudente (linha Verde) e Marechal Deodoro, Santa Cecília, Brás, Patriarca, Carrão, Vila Matilde, Guilhermina Esperança e Sé (linha Vermelha). Já a partir do dia 19, o serviço é estendido para as estações São Bento, Luz, Portuguesa-Tietê, Vila Mariana e Tucuruvi (linha Azul); Consolação, Clínicas, Vila Madalena e Sacomã (linha Verde), Tatuapé, Corinthians-Itaquera, Artur Alvim, Penha, República, Anhangabaú, Bresser, Belém e Palmeiras-Barra Funda (linha Vermelha).

A meta do Metrô é conseguir arrecadar R$ 5 milhões por ano com a exploração comercial das estações de wi-fi. A empresa irá estudar o desempenho do projeto e, caso a aceitação comercial e do público seja satisfatória, é possível que, no próximo ano, sejam elaborados contratos de longo prazo com as empresas que queiram vincular-se ao serviço.

Publicidade

Compartilhe