Multinacionais concorrem em streaming de games

Buscar

Mídia

Publicidade

Multinacionais concorrem em streaming de games

Para disputar mercado com Amazon e YouTube, Microsoft investe na Mixer, que fechou 1ª parceria no Brasil com a Team One eSports

Luiz Gustavo Pacete
12 de agosto de 2019 - 14h00

 

Com a Mixer, Team One eSports quer ampliar potencial em produção de conteúdo (Crédito: Divulgação)

Antes restrita a um público extremamente segmentado, a Mixer, plataforma de streaming de games da Microsoft, ganhou repercussão na semana passada após ter sido escolhida pelo streamer Ninja, ou Richard Tyler. Ele trocou a Twitch, da Amazon, onde no ano passado bateu recorde de seguidores da plataforma – 10 milhões -, para apostar no serviço da Microsoft. Além do Twitch, a Mixer também concorre com o YouTube Gaming. Diferentemente de seus concorrentes, no entanto, ela está integrada a um console, o Xbox One e ao Windows 10.

A Mixer possui aproximadamente 70 mil usuários contra os 1,5 milhões da Twitch. E a partir desta segunda-feira, 12, passa a ter sua primeira parceria no Brasil com a empresa Team One eSports, que mantém a equipe campeã brasileira de League of Legends. O acordo inclui patrocínio e transmissão exclusiva. No total, a plataforma contará com quase 40 canais individuais que estarão integrados à OneTV. Do conteúdo produzido estão previstas as transmissões dos bastidores dos treinos das equipes e o cotidiano da One Academy, centro de treinamento dos atletas, em São Paulo.

Pedro Oliveira, diretor-executivo da Team One eSports, explica que um dos objetivos com a parceria é consolidar a organização como produtora de conteúdo relevante. “Aproximando ainda mais o público do nosso dia-dia e oferecendo à nossa audiência todos os diferenciais da Mixer e do Xbox Game Pass”, diz ele.

 

Recentemente, Ninja, um dos maiores streamers do mundo trocou a Twitch pela Mixer (Crédito: Divulgação)

A Mixer foi criada em novembro de 2014, na ocasião, conhecida como Beam até ser adquirida, em 2016, pela Microsoft se tornando o streaming nativo do Windows. “Nos apresentaram um projeto sólido e com muito potencial em termos de desenvolvimento de grandes jogadores e streamers. A Team One, como organização, compartilha dos mesmos valores que a Microsoft, além disso, vamos poder trabalhar ativamente o Xbox Game Pass e todo o portfólio de jogos dentro dele, consolidando nossa visão sobre a importância de uma boa experiencia de jogos tanto em console como em PCs”, diz Guilherme Gilli, senior business development da Mixer.

Nos últimos dois anos, Twitch e YouTube vinham protagonizando uma disputa intensa neste mercado. Antes de ter sido comprada pela Amazon, em 2015, a Twitch já havia sido alvo do Google. Apesar do YouTube Gaming apresentar crescimentos de três dígitos em audiência nos últimos anos, a Twitch lidera como plataforma de streaming de games.

Em abril de 2017, Felix Kjellberg, mais conhecido como PewDiePie, lançou seu canal no Twitch após se envolver em diversas polêmicas e perder anunciantes no YouTube onde era considerado o maior youtuber do mundo. Em abril deste ano, no entanto, ele anunciou que estava deixando as duas plataformas para a DLive, serviço de streaming baseada em blockchain.

Publicidade

Compartilhe

  • Temas

  • Google

  • amazon

  • youtube

  • games

  • microsoft

  • Twitch

  • e-sports

  • Mixer

Comente

“Meio & Mensagem informa que não modera e tampouco apaga comentários, seja no site ou nos perfis de redes sociais. No site, quando o usuário ler a indicação Este comentário foi apagado’ significa que o próprio comentarista deletou o comentário postado. Não faz parte da política de M&M gerenciar comentários, seja para interagir, moderar ou apagar eventuais postagens do leitor. Exceções serão aplicadas a comentários que contenham palavrões e ofensas pessoais. O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do cadastrado.”