Twitter estenderá home office após a pandemia

Buscar
Publicidade

Mídia

Twitter estenderá home office após a pandemia

Empresa cancela eventos presenciais marcados para 2020 e diz que não deve abrir escritórios até setembro


12 de maio de 2020 - 16h19

Em um e-mail enviado aos funcionários nesta terça-feira, 12, Jack Dorsey, CEO do Twitter, anunciou que os colaboradores poderão permanecer trabalhando de casa quando as medidas de isolamento social adotadas por conta da pandemia do novo coronavírus forem encerradas, com exceção dos trabalhos de manutenção e que requerem presença física.

 

Colaboradores notam benefícios no modelo de trabalho remoto (Crédito: Reprodução/Farknot Architect)

No documento, o CEO conta que é pouco provável que os escritórios da companhia sejam abertos antes de setembro. A plataforma também cancelou todos os eventos físicos no ano e a maioria das viagens de negócios até setembro. Para que os funcionários permaneçam em home office, o Twitter aumentou em U$S 1 mil os subsídios aos colaboradores para suprimentos domésticos.

“Se nossos funcionários estão em uma posição e situação que permite que eles trabalhem de casa e eles quiserem continuar para sempre, nós faremos isso acontecer. Se não, nossos escritórios os acolherão com algumas precauções adicionais, quando eles sentirem que é seguro retornar”, diz uma publicação no blog do Twitter. “Abrir os escritórios será nossa decisão, quando e se nossos funcionários vão voltar será deles”, explica. A reabertura deve ser cuidadosa e gradual.

Ao BuzzFeed News dos Estados Unidos, Jennifer Christie, head de recursos humanos do Twitter, disse que a empresa não será mais a mesma e que pessoas que estavam reticentes em trabalhar remotamente já percebem que é possível ser bem sucedido nesse modelo.

Nos Estados Unidos, a empresa estabeleceu o home office no início de março e, ao cancelar a presença de Jack Dorsey no SXSW — evento que, dias depois, também teve sua edição de 2020 cancelada – o Twitter comunicou que estava freando “eventos e viagens de negócios que não sejam essenciais” até que uma vacina estivesse disponível ou até que Organização Mundial da Saúde estabelecesse que não é mais necessário adotar medidas de precaução contra uma pandemia.

**Crédito da imagem no topo: Kon Karampelas/Unsplash

Publicidade

Compartilhe

Veja também