Os objetivos da Tina, a assistente virtual da Record

Buscar

Mídia

Publicidade

Os objetivos da Tina, a assistente virtual da Record

Lançada nesse mês, a ferramenta pretende atender à demanda de espectadores e, a partir de 2021, também a dos anunciantes


22 de dezembro de 2020 - 12h21

Em menos de 20 dias, durante o período experimental, a assistente fez mais de 20 mil interações (Crédito: Divulgação)

Nos últimos anos, os assistentes virtuais vêm ganhando mais popularidade. Eles foram responsáveis por humanizar o atendimento digital de marcas de diversos setores como financeiro, varejo e serviços e, agora, ganham fazem até o papel de influenciadores digitais. Inspirada por esse movimento, a Record TV decidiu criar a primeira assistente virtual de uma emissora de TV aberta no Brasil. A Tina, uma abreviação de Tecnologia e Inteligência Artificial, foi apresentada no começo do mês.

O desenvolvimento e curadoria do projeto foi feito pelo Canal Interativo do Telespectador (CITE), da Record. Já o visual da assistente passou pelas mãos dos times de arte e criação. Outras áreas como operações e engenharia também foram responsáveis por dar vida à Tina. A equipe se inspirou nas soluções que já existem no mercado para criar uma ferramenta que pudesse atender às demandas específicas de uma empresa de mídia.

A Tina já nasceu atuando no universo de atendimento ao espectador. A meta da emissora é que a assistente dê suporte a todos os canais de comunicação com a companhia. Com ela, os usuários poderão, por exemplo, relatar problemas de recepção de sinal, se inscrever em programas e fazer sugestões. A ferramenta também está sendo desenvolvida para oferecer soluções para os colaboradores da empresa.

Já no próximo ano, a Tina ganhará um novo desafio. Ela será integrada ao atendimento comercial da Record TV, auxiliando na demanda dos anunciantes. Segundo a companhia, em menos de 20 dias, durante o período experimental, a assistente fez mais de 20 mil interações e atendeu a 90% dos pedidos. O objetivo da Record é ampliar esses índices por meio de machine learning.

*Crédito da foto no topo: Eugenesergeev/iStock

Publicidade

Compartilhe