Surreal Hotel Arts chega ao mercado das produtoras

Buscar

Mídia

Publicidade

Surreal Hotel Arts chega ao mercado das produtoras

Fundada pelo diretor de cena Carlão Busato, empresa inicia atuação nas áreas de publicidade, conteúdo de marca e entretenimento, com 21 colaboradores divididos entre SP e NY

Amanda Schnaider
12 de janeiro de 2021 - 6h00

Após dez anos na produtora internacional Hungry Man, onde atuava como sócio da operação brasileira, o diretor de cena Carlão Busato lança a Surreal Hotel Arts, ao lado de Cris Chacon, chefe de operações, de Mariana Ricciardi, produtora executiva da divisão de entretenimento, de Milena Trindade, produtora executiva de publicidade e de Luciana Martins, coordenadora de produção. “Depois de dez anos, senti que precisava mexer um pouco com a minha vida, meus desejos, meus sonhos”, revela o diretor. “Queria fazer uma produtora de pessoas, onde o principal ativo seriam as pessoas”.

 

Até o momento, a produtora conta com 21 colaboradores divididos entre São Paulo e Nova York (crédito: divulgação)

Além de estar à frente da operação da produtora, Busato atuará como diretor artístico da Surreal Hotel Arts, que, inicialmente, também, conta com os diretores Oriol Barbera e Bruno Zambelli, o Zamba. Ao longo de sua carreira, o espanhol Barbera dirigiu filmes para marcas como Skol, Samsung, Coca-cola e Bonafont, além de clipes musicais e curtas-metragens. Já Zamba desenvolve um trabalho dedicado a dar visibilidade à cultura e aos artistas pretos, sendo um dos responsáveis em trazer o Afropunk, um dos mais importantes festivais de cultura negra do mundo, para o Brasil. A nova produtora ainda terá um núcleo criativo integrado às divisões de negócios liderado por Heitor Caetano.

Busato explica que o nome Surreal Hotel Arts surgiu de três conceitos: Surreal, porque a produtora se inspira no mundo dos sonhos; Hotel, porque todo hotel é um portal de histórias; e Arts, porque arte é seu maior fundamento. “O nome Surreal, que tem essa ligação direta com os sonhos, também tem o sonho de que esse lugar seja um lugar abarcador de sonhos, não são só os sonhos artísticos, os projetos e ideais, são os sonhos das pessoas que vêm fazer parte desse time”, reforça o diretor.

Divisões

A companhia inicia sua atuação nas áreas de publicidade, conteúdo de marca e entretenimento, com a proposta de contar histórias originais, proporcionar soluções personalizadas para cada projeto e realizar produtos que mantenham em sintonia agências, marcas, distribuidoras, plataformas e demais agentes de mercado. “A publicidade e o entretenimento poderem trabalhar juntos dentro de uma divisão de conteúdo de marca é a realidade dessa produtora, é algo que está desde sua fundamentação”, revela Busato.

A divisão de negócios de publicidade da produtora conta com a gestão executiva de Milena Trindade que, em conjunto com Luciana Martins, desenvolve projetos nos mais variados formatos e mídias, somando a expertise multifacetada dos diretores de cena e talentos atuantes na empresa. “Nos organizamos internamente com uma equipe de produção altamente integrada e capacitada para que os resultados sejam realmente surreais”, compartilha Milena.

Liderada por Mariana Ricciardi, a divisão de negócios de entretenimento tem o objetivo de apresentar histórias de maneira inovadora, dar voz a artistas em ascensão aliados a renomados profissionais e realizar produtos onde os pilares artísticos e comerciais estejam equilibrados e em concordância com os agentes de mercado. “Para nós, cada história, cada demanda, cada desenho de produção e negócios faz o projeto se tornar único, reverberando esse cuidado para a audiência”, coomenta Mariana.

O núcleo criativo, liderado pelo diretor criativo Heitor Caetano, é responsável por conceituar projetos conjuntamente à todas as divisões de negócios, com pluralidade de olhares e em constante evolução, atento às diferentes formas de existir no mundo. “Nosso departamento criativo irá contribuir para que as narrativas que nasçam ou passem pela Surreal Hotel Arts sejam inspiradas não apenas em referências, mas também na existência humana”, complementa Caetano.

Atuação internacional

A Surreal Hotel Arts conta com o suporte da Artemis Partners, boutique internacional de investimentos privada. Esse modelo de negócios assegura ações da empresa, como aquisição de direitos autorais, desenvolvimento de projetos e proporciona soluções para o manejo de determinadas operações financeiras da produtora. “A nossa produtora vem com um pensamento de negócio muito bem definido, com uma inteligência que vem desses investidores para alavancar o negócio”, afirma o diretor, reforçando que a empresa está fazendo contratações, mas já conta com 21 colaboradores.

Com sede em São Paulo, a empresa também conta com uma base de operação em Nova York. “Essa é uma produtora genuinamente brasileira, a nossa matriz é aqui, é o Brasil. Tem essa boutique de investimentos americana, que já traz uma vocação internacional para este negócio”, comenta Busato, reforçando: “Queremos ter essa presença internacional, não só para ter talentos locais em Nova York, mas para exportar os talentos brasileiros para lá, porque acreditamos muito no Brasil e no jeito brasileiro. Queremos muito poder exportar os nossos talentos para fora para fazer produções para o mercado americano”, conta. “Vamos ser um produtora brasileira com filial em Nova York, vendendo o nosso talento criativo lá”.

Políticas

A Surreal Hotel Arts diz estar atenta às políticas de responsabilidade e de processos e ações que assegurem protocolos sanitários nas realizações, aplicação de políticas afirmativas e anti-assédio entre colaboradores fixos e terceirizados, assim como à agenda global de sustentabilidade.

A produtora inicia suas atividades assinando o compromisso com os 10 princípios do Pacto Global da ONU, que propõe ações práticas nas áreas de direitos humanos, trabalho, meio ambiente e anticorrupção. E além da adesão, decidiu se juntar ao time de parceiros de comunicação do Pacto como forma de apoiar a instituição em suas campanhas de engajamento junto ao setor privado e a sociedade civil.

“Mais do que um discurso, nós começamos a contar essa história em nossas primeiras produções, com a gestão de resíduos no set e compensação de emissões de carbono, servindo como um piloto para a metodologia de implementação da estratégia que será aprimorada junto aos nossos colaboradores e fornecedores”, explica Cris Chacon, chefe de operações da produtora.

**Crédito da imagem no topo: reklamlar/istock

Publicidade

Compartilhe