Os objetivos de negócios do Estadão com o Blue Studio

Buscar

Mídia

Publicidade

Os objetivos de negócios do Estadão com o Blue Studio

Veículo cria estrutura de planejamento, criação e execução de soluções publicitárias para apoiar clientes e agências

Bárbara Sacchitiello
27 de abril de 2021 - 12h08

(Crédito: Divulgação)

Na semana passada, o Estadão começou a comunicar ao mercado publicitário a criação de uma operação que visa oferecer aos anunciantes e agências uma estrutura completa de planejamento, criação, produção e acompanhamento de campanhas e ações publicitárias.

Chamada de Estadão Blue Studio, a área foi lançada em meio ao processo de transformação digital do veículo, que procura, de forma transversal, reorganizar as entregas e soluções oferecidas aos clientes em todas as plataformas, diz o diretor executivo de publicidade do Grupo Estado, Paulo Pessoa.

O Blue Studio é dividido em dois pilares: a diretoria de planejamento e criação, cuja função será atuar no desenvolvimento de projetos e planejamento de ações calcadas nos objetivos de negócios das marcas, amparadas em dados e em inteligência de mercado; e a diretoria de conteúdo e operações, cuja função primordial será implementar e acompanhar o desempenho de ações e projetos publicitários.

“Resolvemos reestruturar e capacitar a área de marketing e comercial internalizando competências em business intelligence, dados, user experience, web designer e inteligência de mercado. O objetivo é ser mais um braço para auxiliar as estratégias e trabalhos dos clientes e das agências de publicidade que buscam soluções através de nossos conteúdos”, explica o diretor.

Um dos trabalhos já realizados pelo Estadão Blue Studio foi feito junto ao Itaú Unibanco, voltado ao mercado imobiliário. No case, o Studio criou uma plataforma de buscas integrando o conteúdo de incorporadoras e imobiliárias, com simulações de financiamento pelo banco. De acordo com o Estadão, o projeto gerou mais de 2,5 mil leads interessados em aquisições de imóveis. “É clara a importância, por parte dos veículos, de ser crível na geração de conteúdos e conceitos para conseguir fazer projetos que agreguem valor ao cliente. O Estadão consegue fazer isso por meio de conteúdo de qualidade, que acaba atribuindo credibilidade também aos clientes”, opina Pessoa.

Publicidade

Compartilhe