Ministério Público propõe ação contra RedeTV

Buscar

Mídia

Publicidade

Ministério Público propõe ação contra RedeTV

Motivo da ação foram as falas do apresentador Sikêra Jr, do programa Alerta Nacional, a respeito da comunidade LGBTQIA+

Bárbara Sacchitiello
29 de junho de 2021 - 11h54

Atualizada às 15h29

Na noite dessa segunda-feira, 28, o Ministério Público Federal ajuizou ação civil pública contra a RedeTV e o apresentador Sikera Jr, apresentador o programa Alerta Nacional. A atração jornalística é realizada pela TV A Crítica, do Amazonas, e exibida pela RedeTV para todo o País.

Procurada, a RedeTV, via assessoria de comunicaçao, declarou que não tem ciência desse processo e que não comenta processos judiciais em andamento.

 

Apresentador é alvo de ação do Ministério Público Federal (Crédito: Reprodução)

O motivo da ação são as falas do apresentador a respeito da comunidade LGBTQIA+. No último dia 25, em seu programa, Sikêra Jr, referiu-se às pessoas LGBTQIA+ como “raça desgraçada” e ainda relacionou à orientação sexual à práticas de crime e uso de drogas. A ação do MPF foi assinada em conjunto com a Nuances – Grupo pela Livre Expressão Sexual, que atua na defesa dos direitos humanos da população LGBTQIA+.

O MPF esclarece que as falas preconceituosas do apresentador tiveram por objeto a campanha publicitária do Burger King, lançada na semana passada. A rede de fast food procurava mostrar como as crianças podem aceitar, de forma natural, a orientação sexual das pessoas, sem preconceitos.

Na ação, o MPF e Nuances pedem que a RedeTV e o apresentador sejam condenados R$ 10 milhões de indenização por danos morais coletivos. O valor será destinado à estruturação de centros de cidadania LGBTQIA+. A ação também pede requer a exclusão na íntegra das redes sociais do programa que foi ao ar no dia 25 de junho.

Pressão nos patrocinadores
A ação do Ministério Público Federal aconteceu após uma onda de protestos nas redes sociais contra o apresentador. Nessa segunda-feira, 28 data em que é celebrado o Dia Internacional do Orgulho LGBTQIA+, as pessoas começaram a pressionar as marcas patrocinadoras e envolvidas com o programa a se manifestarem a respeito do comportamento do apresentador.

O perfil Sleeping Giants, criado com a proposta de alertar os anunciantes a respeito da presença de seus anúncios em meio a conteúdos desrespeitosos e de pouca credibilidade, iniciou a campanha #DesmonetizaSikera. Na noite de segunda-feira, 28, de acordo com reportagem do site Notícias da TV, três patrocinadores do programa declararam que não vão mais apoiar o programa.

No Twitter, a construtora MRV declarou que não irá mais apoiar o programa. “A MRV acredita na diversidade e não compactua com qualquer forma de preconceito. O programa Alerta Amazônia já não faz mais parte dos nossos planos de mídia”, escreveu a empresa em seu perfil oficial.

Questionada nas redes sociais a respeito de seu patrocínio ao programa, a Hapvida respondeu. “Não apoiamos forma alguma de preconceito, seja social, de credo, raça, gênero ou orientação sexual. No momento, suspendemos o patrocínio do Alerta Amazonas. Estamos sempre trabalhando por uma sociedade mais saudável”, escreveu a empresa.

Publicidade

Compartilhe