Disney prevê desaceleração nos streamings

Buscar

Mídia

Publicidade

Disney prevê desaceleração nos streamings

CEO da companhia, Bob Chapek, declarou que a paralisação nas produções por conta da variante Delta deve impactar os planos de conquistas de novos assinantes


22 de setembro de 2021 - 6h00

The Mandalorian, uma das séries exclusivas do Disney+ (Crédito: Reprodução/YouTube)


Com informações do Advertising Age e da Bloomberg

O CEO da Walt Disney Company, Bob Chapek, declarou que os atrasos na produção de filmes e séries de TV irão moderar o crescimento dos serviços de streaming nos próximos nesse trimestre. Ao participar de uma conferência do Goldman Sachs Group nessa terça-feira, 21, o executivo disse que os estúdios da Disney estão produzindo 61 filmes e 17 produções de TV, mas que a ascensão da variante delta nos Estados Unidos tem resultado em algumas desacelerações.

A diminuição das assinaturas na Índia e o lançamento mais lento do novo serviço de streaming do grupo na América Latina (o Star+) também estão impactando o crescimento dos usuários que, segundo Chapek, será menor do que os milhões de assinantes previstos anteriormente.

O CEO da Disney disse, contudo, que o grupo está confiante no crescimento de sua quantidade de assinantes a longo prazo. O desempenho do Star+ na América Latina (o serviço chegou ao Brasil no fim de agosto) tem crescido um pouco abaixo do ritmo projetado pela companhia, mas o CEO acredita que os números irão melhorar a medida em que a empresa trabalhar de forma mais próxima com os distribuidores locais.

Já o Disney+, principal serviço de streaming da empresa, tem tido um crescimento internacional expressivo, sobretudo no período da pandemia, em que as pessoas foram obrigadas a passar mais tempo em casa. Globalmente, o Disney+ já alcançou mais de 116 milhões de usuários. A previsão dos analistas é de que o serviço alcance a marca de 125,7 milhões de clientes no final do quarto trimestre fiscal.

A Disney está planejando uma grande promoção para seu serviço de streaming por volta de 12 de novembro, quando completará dois anos de lançamento do Disney+. Os clientes terão acesso ao novo filme da Marvel, Shang-Chi e a Lenda dos Dez Anéis, lançado previamente nos cinemas. Já o filme “Jungle Cruise”, que era oferecido na plataforma mediante pagamento adicional de US$ 30, integrará o pacote regular da assinatura, ao custo de US$ 8 por mês.

Chapek também disse que as reservas dos parques da companhia para o trimestre estão mais fortes do que nos meses anteriores e que a empresa vem procurando ser mais agressiva em relação à presença o esporte, incluindo potenciais parcerias para a marca ESPN.

Publicidade

Compartilhe