Heineken tira comercial acusado de racismo do ar

Buscar

Últimas notícias

Publicidade

Heineken tira comercial acusado de racismo do ar

Peça promovia a versão light da cerveja com a frase “Sometimes, lighter is better”


27 de março de 2018 - 13h03

Nota atualizada às 16h05

“Sometimes, lighter is better”, tagline do comercial da Heineken, removido do ar após ser acusado de ser racista (Crédito: Reprodução)

A Heineken tirou do ar um comercial que promovia a Heineken Light depois que a peça foi acusada de ser racista, e admitiu ter errado o tom. A peça faz parte da campanha que promove a versão light da cerveja nos Estados Unidos.

No filme criado pela Publicis, um bartender branco faz uma garrafa da cerveja deslizar pelo balcão até chegar a uma mulher, também branca. No percurso, a bebida passa por várias pessoas negras. Então aparecia a tagline “Sometimes, lighter is better”. “Lighter” pode ser entendido tanto como “mais leve”, quanto como “mais claro”.

“Embora sintamos que o anúncio claramente promove nossa cerveja Heineken Light, perdemos o tom. Estamos pegando esse feedback e usando-o para influenciar campanhas futuras”, disse um porta-voz da Heineken à Newsweek.

O anúncio foi removido da televisão e do YouTube. Diversas celebridades, dentre elas o artista Chance, the Rapper, consideraram a campanha extremamente racista. “Vocês não entenderam nada. Muitas agências fazem anúncios racistas de propósito para que a gente exagere e tuite sobre isso e, quando você escreve um artigo e tuíta, todos falamos o nome da marca 50 vezes”, escreveu em seu perfil no Twitter.

Na Europa, um vídeo praticamente idêntico vinha sendo veiculado desde a metade do ano passado, sem provocar questionamentos do público. “O que é aceitável na Europa não é aceitável nos EUA, e acho que muitas vezes a falha está ao não avaliar o impacto que o anúncio terá em determinada região. Não há muita dúvida de que o comercial pode ser claramente interpretado como ofensivo, dependendo da visão de mundo da pessoa. É preciso estar ciente não somente da sua intenção, mas de como as pessoas pensam e o estado do mundo no qual estamos vivendo agora. Estamos em um cenário extremamente sensível no que diz respeito à questão racial”, disse Ahmad Islam, CEO da Ten35, ao Ad Age.

A versão europeia da campanha, removida nesta terça-feira, 27, pela página da Heineken Irlanda, tem algumas diferenças: o mesmo bartender aparece, mas a cerveja acaba nas mãos de um cliente branco, que está socializando com uma mulher negra. Assista à versão norte-americana aqui.

Há quase um ano exato, a Pepsi veiculava um anúncio protagonizado por Kendall Jenner que foi criticado – e removido – pelos mesmos motivos. Ao tentar emular movimentos como o Black Lives Matter colocando a empresária e modelo nos holofotes, o filme foi alvo de indignação não só do público, mas de diversos profissionais de agências.

E, no final do ano passado, a Dove pediu desculpas por um anúncio de sabonete em que uma mulher negra tirava sua camiseta, revelando uma mulher branca.

Publicidade

Compartilhe

Comente