IoT é a inovação mais atraente para executivos brasileiros

Buscar

Últimas notícias

Publicidade

IoT é a inovação mais atraente para executivos brasileiros

Pesquisa da Thomson Reuters, em parceria com a Live University, também mostra que blockchain, data science e inteligência artificial são tecnologias em alta no Brasil

Luiz Gustavo Pacete
12 de dezembro de 2018 - 10h29

 

Devices inteligentes e conectados são uma realidade, mas ainda um desafio para o Brasil (Crédito: Reprodução)

A Internet das Coisas, IoT na sigla em inglês, é o grupo de inovações mais atraente a executivos brasileiros. A constatação é de um estudo da Thomson Reuters, em parceria com a Live University.

O levantamento considerou a resposta de 300 executivos e especialistas brasileiros sobre adoção de tecnologias em suas respectivas áreas de atuação. A pesquisa foi feita no início do segundo semestre deste ano. Das citadas, IoT aparece com 31,3% da preferência.

Em seguida estão blockchain com 30,9%, data Science, 29,8%, e inteligência artificial e aprendizado de máquina citados por 29,2% dos entrevistados. Criptomoedas como bitcoin, que costumam aparecer em alta nos apontamentos de tendências, não entusiasmaram os entrevistados sendo citadas por 1,9% dos participantes.

Um dos questionamentos do estudo foi sobre as razões que levam os executivos a utilizarem em suas empresas esse tipo de inovação tecnológica. Entre as respostas estão: aumento da eficiência, 27%; melhorias da governança e compliance, 20%; padronização de processos, 19%; redução do risco de fraudes, 18% e aumento da competitividade, 15%.

Dos entrevistados, 83% apontam que novas vagas surgirão em seus departamentos em relação à chegada de inovações, 97% creem que essas inovações vão alterar a maneira de se trabalhar positivamente, 42% disseram que buscam formas de aumentar os investimentos na área da tecnologia.

Apesar do otimismo em relação ao tema, o maior obstáculo apontado pela pesquisa é a especialização dos profissionais, apenas 17% acreditam que seus funcionários são capazes de utilizarem as inovações.

Publicidade

Compartilhe

Comente