O poder das redes sociais

Buscar
Publicidade

Ponto de vista

O poder das redes sociais


25 de maio de 2011 - 3h29

A essa altura já é praticamente um consenso que as redes sociais não são uma moda passageira.

Por qualquer ângulo que se analise, Facebook, Twitter Orkut, Linkedin e que tais combinam um volume de usuários e de tempo médio de uso que já os coloca quase como uma segunda web.

A ambição declarada de Mark Zuckerberg, fundador, CEO e maior acionista do Facebook é se tornar a porta de entrada da internet, seja via web, seja via aplicativos.

O mais relevante não é se essa é ou não uma ambição exagerada, mas ela ilustra a dimensão do fenômeno que estamos vivendo.

Um aspecto interessante é que as pessoas em geral e os jovens em especial, passaram a fazer uso das redes sociais em tudo que fazem. Assistem TV e comentam, viajam e postam fotos, se informam na internet e dividem suas opiniões nas redes sociais…

Usando o exemplo do Esporte Interativo, qualquer transmissão ou programa que fazemos, temos milhares de comentários, elogios e críticas ao jogo, ao narrador, discussão entre os espectadores etc.

Não é o propósito desse post discutir com profundidade as conseqüências desse fenômeno na sociedade e nas empresas no Brasil e no mundo.

Mas acho importante apontar a distancia que existe entre a mudança de comportamento das pessoas e as estratégias e ações das empresas nesse novo ambiente, ainda extremamente tímidas.

É um maravilhoso mundo novo a ser entendido e explorado pelos grupos de mídia, pelas agencias, pelos veículos e pelos anunciantes, enfim por toda a nossa cadeia de negócios.

Vale errar, consertar, errar de novo, mudar de estratégia.

Só não vale ignorar.

* Edgar Diniz é presidente do Esporte Interativo

Publicidade

Compartilhe

Veja também

  • Plataformas asiáticas de e-commerce divergem sobre taxação

    Plataformas asiáticas de e-commerce divergem sobre taxação

    Marketplaces como Aliexpress e Shopee manifestaram-se sobre decisão da Câmara de taxar em 20% compras internacionais acima de US$ 50

  • Compras internacionais terão taxação para produtos de até US$ 50

    Compras internacionais terão taxação para produtos de até US$ 50

    A Câmara dos Deputados aprovou a cobrança de imposto de 20% para itens de até US$ 50 de marketplaces estrangeiros; medida consta no projeto Mover