?As redes sociais geram negócios?

Buscar
Publicidade

Mídia

?As redes sociais geram negócios?

Declaração é de Ricardo Pomeranz, da Rapp, durante o Workshop de Redes Sociais da Aner


13 de abril de 2011 - 12h12

Quase 10% da população mundial está presente nas redes sociais. Embora novo, esse canal já tem escala de massa: no Brasil, cerca de 74 milhões de pessoas têm acesso a internet, 30 milhões estão no Orkut, 17 milhões no Facebook e 12,6 milhões possuem uma conta no Twitter. Para debater os desafios e oportunidades deste mercado, a Associação nacional dos Editores de Revistas (Aner) promove nesta quarta-feira 13, em São Paulo, o Workshop de Redes Sociais.

“A internet atingiu escala de massa. São 3,5 bilhões de pessoas conectadas, com uma abrangência de publico que permite segmentação e gera negócios. Por isso as empresas devem utilizar a internet e as redes sociais”, aponta RicardoPomeranz, global chief officer e membro do board do grupo Rapp, que realizou a palestra de abertura do evento.

Segundo o profissional, pela primeira vez na história do marketing é o consumidor que está sentado no banco da frente. “Enquanto as empresas discutem se tem que estar ou como entrar, os consumidores já estão”.

Polêmica das verbas

Na opinião de Fernando Tassinari, gerente geral da Razorfish Brasil, os investimentos destinados pelos anunciantes para os canais digitais não refletem a penetração e a audiência do meio. “Uma das principais barreiras para as verbas digitais é o BV (bonificação por volume). O BV é uma excrecência brasileira protegida por lei. As agências vivem em função dele. Quem pode mudar isso são os anunciantes e alguns já estão puxando a compra de mídia”, afirma Tassinari.
 

wraps

Publicidade

Compartilhe

Veja também

  • Folha usa filosofia para tentar formar nova geração de leitores

    Folha usa filosofia para tentar formar nova geração de leitores

    Veículo apresenta a Coleção Pensadores para Crianças, com a proposta de apresentar a filosofia de forma mais simplificada

  • Após Disney+, Netflix também aumenta preços de assinaturas

    Após Disney+, Netflix também aumenta preços de assinaturas

    A gigante do streaming alterou valores em planos padrões, inclusive com anúncios, e o premium, dias após anúncio da rival Disney+