Audiência do NYT cai após cobrança online

Buscar

Audiência do NYT cai após cobrança online

Buscar
Publicidade

Mídia

Audiência do NYT cai após cobrança online

Desde que implantou seu modelo de assinaturas online, no final de março, jornal viu seu número de leitores na web cair entre 5% e 15%


13 de abril de 2011 - 9h30

Desde que passou a cobrar pelo acesso ao conteúdo online de seu portal, o New York Times teve uma ligeira queda em sua audiência. Segundo o instituto Experian Hitwise, desde o dia 28 de março, o portal do jornal norte-americano teve uma queda entre 5% e 15% no seu número de leitores online.

A comparação foi feita tendo como base a quinzena anterior ao início da cobrança pelo conteúdo online. Desde que decidiu implantar o novo modelo, a publicação viu a sua audiência diminuir todos os dias – exceto no dia 9 de abril, quando havia uma ameaça de paralisação geral nos Estados Unidos por conta do acordo parlamentar.

Considerando o número de páginas visitadas pelos leitores, o New York Times também contabiliza uma queda. A quantidade de páginas visitadas caiu entre 11% e 30% todos os dias após o início da cobrança.

Por acreditar que o fornecimento gratuito de noticiário online se tornaria insustentável para as publicações, o NYT, depois de muita estudar a adoção de novos modelos de cobrança, criou três formatos de assinatura e passou a implantá-los oficialmente desde o final de março. Os internautas que desejarem acessar todo o conteúdo online devem pagar uma quantia entre US$ 15 e US$ 35 por mês.

Com informações da Folha de S.Paulo.

wraps

Publicidade

Compartilhe

Veja também

  • Placar e Centauro se unem para transmissão da Copa América

    Placar e Centauro se unem para transmissão da Copa América

    Com imagens, empresas levarão sinal para plataformas, além de contar com influenciadores para amplificar o conteúdo

  • Qual é a importância das métricas de atenção?

    Qual é a importância das métricas de atenção?

    Pesquisa da DoubleVerify revela que metade dos compradores de mídia na América Latina planejam integrar métricas de atenção em suas estratégias