New York Times começa a vender alimentos

Buscar

New York Times começa a vender alimentos

Buscar
Publicidade

Mídia

New York Times começa a vender alimentos

Depois de lançar sua agência de turismo, jornal investirá em delivery por meio de uma parceria com a startup Chef’d


6 de maio de 2016 - 10h42

O jornal norte-americano The New York Times começará a vender ingredientes das receitas que são apresentadas em seu portal NYT Cooking. A estratégia é uma forma de compensar a queda de receita com circulação impressa. O Times está se unindo com a start-up de delivery de comida Chef’d que será responsável pela entrega dos produtos para os leitores em até 48h. As receitas serão compartilhadas entre as duas empresas.

“A nossa audiência passa muito tempo cozinhando em casa”, afirmou Alice Ting, VP de desenvolvimento de marca, licenciamento e sindicância do Times. “Para nós foi um segmento natural a ser considerado.”

A entrada do Times na área de entrega de alimentos é um outro exemplo de como a publicação está buscando novas maneiras de gerar receitas com conteúdo, marca e jornalismo.

timetreavel

A expectativa é que o delivery de comida se torne um projeto tão grande quanto o “Times Journeys”

Nos últimos anos, o Times começou a investir em conferências, clubes de vinhos e em uma loja online que vende bonés, camisetas e outros itens com o logo da marca. O jornal também apresentou uma agência de turismo, “Times Journeys”, que leva turistas a conhecer lugares como Irã e Cuba com seus correspondentes internacionais. A expectativa é que o delivery de comida se torne um projeto tão grande quanto o “Times Journeys”.

Com informações do Advertising Age

Publicidade

Compartilhe

Veja também

  • Como os brasileiros utilizam as redes sociais?

    Como os brasileiros utilizam as redes sociais?

    Levantamento da Brain investigou hábitos de consumo de redes sociais entre diversas faixas etárias; WhatsApp é o app líder entre todas as gerações

  • Paramount+ segue os demais streamings e reajusta preço no Brasil

    Paramount+ segue os demais streamings e reajusta preço no Brasil

    Após ter aumentado assinatura no mercado norte-americano, plataforma também terá novos valores no País a partir de setembro