Sandy volta à capa da Capricho pelo Outubro Rosa

Buscar

Sandy volta à capa da Capricho pelo Outubro Rosa

Buscar
Publicidade

Mídia

Sandy volta à capa da Capricho pelo Outubro Rosa

Em ação da DM9 para a rede de laboratórios e hospitais Dasa, revista ganha edição especial para alertar sobre a conscientização dos exames preventivos de câncer de mama


5 de outubro de 2023 - 15h21

Capricho Sandy

Cantora é a estrela da capa de edição especial da publicação (Crédito: Divulgação)

Depois de ter estampado diversas capas da revista Capricho ao longo de sua carreira, à cantora Sandy, hoje aos 40 anos, volta ao espaço de destaque em uma edição especial da publicação, feita exclusivamente para alertar sobre a importância da prevenção ao câncer de mama.

Em uma ação da rede de saúde Dasa, criada pela agência DM9, a revista Capricho volta a ter uma edição impressa neste mês. A ideia é aproveitar o Outubro Rosa para alertar às mulheres sobre a importância dos exames preventivos e da atenção à saúde.

Além da conexão com o público leitor da Capricho em décadas passadas, a escolha de Sandy também tem uma razão de saúde: a cantora completou 40 anos em 2023, idade que a Sociedade Brasileira de Mastologia recomenda como a inicial para a realização de mamografia e outros exames de prevenção.

Ao longo de 32 páginas, a revista terá uma entrevista com a cantora e outras informações sobre saúde da mulher e prevenção de doenças.

Essa edição especial da Capricho terá 15 mil exemplares e será distribuída nos laboratórios e hospitais da rede, além de influenciadores, jornalistas e fã-clubes de Sandy.

Publicidade

Compartilhe

Veja também

  • Google passa a mostrar as avaliações do Reclame Aqui na busca

    Google passa a mostrar as avaliações do Reclame Aqui na busca

    Ferramenta integrará a página de reviews do Reclame Aqui nos produtos buscados na aba Google Shopping

  • WhatsApp é alvo de ação e pode ser multado em R$ 1 bilhão

    WhatsApp é alvo de ação e pode ser multado em R$ 1 bilhão

    Ação protocolada pelo Ministério Público Federal de São Paulo e o Instituto de Defesa de Consumidores indica ilegalidade do uso e compartilhamento de dados de brasileiros