Após MediaMonks, como ficam relações de Sorrell com WPP?

Buscar

Comunicação

Publicidade

Após MediaMonks, como ficam relações de Sorrell com WPP?

Holding alega que executivo teria quebrado acordo de confidencialidade ao disputar produtora holandesa


11 de julho de 2018 - 10h24

Após saída do WPP, Sorrell começou a disputar espaço na indústria da comunicação com a holding (Crédito: Reprodução/Sky News)

Martin Sorrell ganhou a batalha para adquirir a produtora holandesa MediaMonks. Mas o WPP, holding liderada por ele nos últimos anos – e que também fez ofertas para comprar a empresa – reiterou nessa terça-feira, 10, que o executivo ainda pode perder um pagamento multimilionário.

A aquisição da MediaMonks foi anunciada formalmente pela S4 Capital, nova empresa de Sorrell. Os acionistas da MediaMonks, que possuem receitas de US$ 129 milhões, receberão pagamentos em dinheiro e ações da S4 Capital. A nova empresa de Sorrell descreveu o negócio como uma fusão e disse que seu objetivo é “fornecer aos clientes serviços digitais com agilidade, eficiência e superior qualidade criativa.”

“Os advogados do WPP escreveram aos advogados de Sir Martin Sorrell na semana passada apontando a quebra de compromissos de confidencialidade no seu interesse na MediaMonks, após sua saída do WPP”, declarou um porta-voz da holding nessa terça-feira, 10. “Apesar dos protestos subsequentes dos advogados de Sir Martin Sorrell, estamos bem conscientes dos fatos de que ele arriscou seu direito ao LTIP”, completou o porta-voz.

A sigla LTIP refere-se a um plano de incentivo de longo-prazo preparado para Sorrell, estabelecido em um contrato feito em 2008. Questionado se ainda pagaria ao ex-CEO tais prêmios e valores do contrato, o WPP recusou-se a responder.

Como resposta, um porta-voz de Sorrell disse que “Sir Martin nega veementemente a alegação de quebra de compromisso e que está confiante de que os fatos falarão por si”. O porta-voz ainda disse que “a posição legal do WPP não possui méritos e que a S4 Capital tinha respaldo legal para avançar nas negociações e que as manifestações da holding eram formas de atrapalhar as ofertas de negociação da companhia.

Durante o encontro anual do WPP, em junho, um acionista apontou que sem maiores informações, eles não poderiam avaliar se o pacote de bônus elaborado na rescisão de Sorrell era ou não adequado. Outro acionista teria perguntado se a decisão de Sorrell de iniciar um novo negócio na área de publicidade não era uma conduta errada. Pelo acordo, Sorrell ainda teria direito a receber aproximadamente US$ 23 milhões em bonificações do WPP.

Do Advertising Age

Publicidade

Compartilhe

  • Temas

  • Negócios

  • wpp

  • Martin Sorrell

  • MediaMonks

Comente

“Meio & Mensagem informa que não modera e tampouco apaga comentários, seja no site ou nos perfis de redes sociais. No site, quando o usuário ler a indicação Este comentário foi apagado’ significa que o próprio comentarista deletou o comentário postado. Não faz parte da política de M&M gerenciar comentários, seja para interagir, moderar ou apagar eventuais postagens do leitor. Exceções serão aplicadas a comentários que contenham palavrões e ofensas pessoais. O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do cadastrado.”