José Papa deixa cargo de CEO do Cannes Lions

Buscar

Comunicação

Publicidade

José Papa deixa cargo de CEO do Cannes Lions

Executivo brasileiro é desligado após ficar dois anos na função, que será acumulada por Philip Thomas, chairman do Cannes Lions e CEO da Ascential Events, dona do festival

Alexandre Zaghi Lemos
12 de julho de 2018 - 10h49

José Papa estava desde 2012 na Ascential, dona do Cannes Lions

O brasileiro José Papa foi desligado pela Ascential do cargo de CEO do Cannes Lions, que ocupou por dois anos, a partir de agosto de 2016. A função de comando executivo do Festival Internacional de Criatividade de Cannes será acumulada por Philip Thomas, chairman do Cannes Lions e CEO da Ascential Events, dona do evento. O cargo de CEO do Cannes Lions será extinto.

Comunicado de Thomas diz que o “ambiente desafiador” e a recente venda da área de Exhibitions da Ascential fizeram a empresa “reavaliar seus custos e tomar algumas decisões difíceis”. Em maio o ITE Group comprou por £ 300 milhões a Ascential Exhibitions Business, área que não inclui o Cannes Lions, que segue como propriedade da Ascential.

Duncan Painter, chief executive da Ascential, passará a dedicar mais tempo ao Cannes Lions e “assumirá responsabilidades específicas em certas áreas do negócio, que esclareceremos em breve”, disse Thomas.

A 65ª edição do Festival de Cannes foi realizada no mês passado com redução de 21% no total de trabalhos inscritos, em decorrência da reorganização nas categorias, que segundo a organização do evento resultou na extinção de cerca de 120 subcategorias, e do radical corte de investimentos em premiações e promoções do Publicis Groupe.

Após ter recebido severas críticas de líderes das maiores holdings de comunicação do mundo em relação à sua dimensão, quantidade de categorias e custos, o festival fez uma reavaliação de sua estrutura e anunciou mudanças importantes para a edição de 2018, como a redução de oito para cinco dias.

Em um comunicado financeiro de 7 de junho, ainda antes do festival deste ano, a Ascential disse que o Cannes Lions estava “experimentando um ambiente comercial mais desafiador, com um nível de investimentos menor do que o esperado por parte das agências de publicidade”.

Em março, a Ascential anunciou que Philip Thomas assumiria a posição de chairman do Cannes Lions a partir de julho, após saída de Terry Savage, que ainda participou do evento deste ano na função e trabalhou por 33 anos no festival.

Thomas respondia como CEO do Cannes Lions, mas foi promovido ao comando da Ascential Events, abrindo espaço para a chegada de Papa ao principal posto executivo do festival.

Antes de assumir como CEO do Cannes Lions, José Papa foi CEO global da WGSN, empresa também pertencente a Ascential.

Paulistano, Papa iniciou sua carreira profissional no mercado financeiro, no ABN AMRO Bank. Após estudar administração nos Estados Unidos, voltou ao Brasil para integrar, na área de projetos especiais, a equipe que lançou o portal iG, naquela época comandado por Nizan Guanaes. Ainda no mercado digital, passou pelo SeliG e pela rede wi-fi Vex. Depois, migrou para o setor de novas plataformas de mídia do canal ESPN e, posteriormente, para a empresa de entretenimento Time For Fun e para a área de estratégia corporativa e digital de O Estado de S.Paulo. No jornal, que na época já era representante no Brasil do Cannes Lions, Papa teve seu primeiro contato profissional com o evento. Em 2012, ingressou na então Top Right Group, que mudou sua marca para Ascential no final de 2015 e fez seu IPO em fevereiro de 2016 na Bolsa de Londres.

Publicidade

Compartilhe

Comente

“Meio & Mensagem informa que não modera e tampouco apaga comentários, seja no site ou nos perfis de redes sociais. No site, quando o usuário ler a indicação Este comentário foi apagado’ significa que o próprio comentarista deletou o comentário postado. Não faz parte da política de M&M gerenciar comentários, seja para interagir, moderar ou apagar eventuais postagens do leitor. Exceções serão aplicadas a comentários que contenham palavrões e ofensas pessoais. O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do cadastrado.”