Turner quer ser gigante em publicidade nativa

Buscar

Mídia

Publicidade

Turner quer ser gigante em publicidade nativa

Com nova ferramenta, programadora pretende reinventar os modelos utilizados em intervalos comerciais


4 de janeiro de 2016 - 5h15

A Turner, dona de canais como TNT, CNN e Cartoon Network, quer reinventar seus intervalos comerciais.

A programadora aproveitará o Consumer Electronics Show, que começa nesta quarta-feira 6, para divulgar o Native Plus, seu novo produto direcionado à publicidade nativa. "A ideia é transformar a Turner em uma plataforma gigante de anúncios nativos", disse Dan Riess, diretor de parcerias de conteúdo na Turner ao AdAge.

Com a nova ferramenta, a programadora pretende utilizar os comerciais para contar histórias das marcas. Para conseguir essa reformulação, o tempo de até 30 segundos tradicionalmente comercializado pelas emissoras será estendido para até três minutos.

A Turner criou a divisão Turner Ignite, responsável por produzir o conteúdo para os anunciantes e segmentar a divulgação para os canais de seu portfólio. A Intel será uma das pioneiras a experimentar a ferramenta este ano. 

Durante o CES, que acontece até sábado 9, em Las Vegas, a Turner também apresentará os resultados do Launchpad nas redes sociais. Segundo a programadora, o recurso é capaz de identificar nichos e direcionar a publicidade. A Turner também oferece ferramentas como TargetingNow, Roi Demonstrável e Turner Data Cloud aos anunciantes. 

wraps

Publicidade

Compartilhe

Comente

“Meio & Mensagem informa que não modera e tampouco apaga comentários, seja no site ou nos perfis de redes sociais. No site, quando o usuário ler a indicação Este comentário foi apagado’ significa que o próprio comentarista deletou o comentário postado. Não faz parte da política de M&M gerenciar comentários, seja para interagir, moderar ou apagar eventuais postagens do leitor. Exceções serão aplicadas a comentários que contenham palavrões e ofensas pessoais. O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do cadastrado.”