Catraca Livre: erros na tragédia

Buscar
background_chapecoense

Mídia

Publicidade

Catraca Livre: erros na tragédia

Gilberto Dimenstein, criador do portal, declarou ser o único responsável pela postura editorial que gerou críticas

Bárbara Sacchitiello
29 de novembro de 2016 - 15h27

Erramos-Catraca

Após muitas reclamações dos leitores, Catraca Livre assumiu o erro em seu perfil no Facebook (Crédito: Reprodução)

Em meio à comoção pelo acidente que vitimou time, comissão técnica e dirigentes da Chapecoense além de mais de 20 jornalistas de diversos grupos de mídia do País, duas marcas estão sendo alvo de críticas, reclamações e de manifestações de indignação por parte do público.

O site Catraca Livre vem recebendo mensagens de reprovação em seus perfis nas redes sociais ao longo de toda essa terça-feira, 29. A polêmica começou pouco depois das 9h, quando o portal postou, em seu perfil no Facebook, uma matéria, publicada em agosto deste ano, com dicas para quem tem medo de viajar de avião. O post mencionava diretamente a tragédia com o voo do time brasileiro, ocorrida na Colômbia.

Na sequência, o Catraca Livre publicou outro link sobre mitos de viagem aérea, usando a hashtag #acidentenaColombia. A falta de senso de oportunidade revoltou os leitores, que publicaram diversas mensagens criticando que o momento não era apropriado para esse tipo de conteúdo.

O Catraca Livre chegou a publicar um texto em que comentava as reclamações recebidas pelos seus leitores, mas defendia-se com o argumento de que a equipe editorial achava que “era relevante jornalisticamente mostrar outros aspectos da tragédia”.

A explicação deixou a situação do portal ainda pior e as pessoas iniciaram um movimento pedindo para que os leitores deixassem de seguir a página do Catraca Livre no Facebook. No início da amanhã, a fanpage tinha mais de 8,3 milhões de seguidores. Na tarde dessa terça, esse número já havia caído para 7,9 milhões. Segundo algumas ferramentas de monitoramento online, o perfil do Catraca Livre na rede social vem perdendo cerca de 10 mil fãs por hora.

Por volta de 14h, a página mudou sua abordagem e postou os avisos de “Desculpas” e “Erramos”, com o seguinte comunicado: “Diante do impacto da notícia do acidente com o time do Chapecoense e premido pela rapidez, o Catraca Livre fez posts que feriram a sensibilidade de seus leitores, ao mostrar diferentes ângulos da tragédia. Lamentamos que nossa abordagem tenha provocado essa dor e fosse interpretada como desrespeito. Erramos ao não sermos mais cuidadosos. Pedimos, assim, desculpas ao leitor e agradecemos suas críticas que nos ajudam a fazer um jornalismo cada vez melhor.”

“Meu erro”
Pouco depois das 16h30, o Catraca Livre publicou mais um post em seu perfil oficial no Facebook, assinado pelo seu criador e editor-chefe, Gilberto Dimenstein. Na mensagem, ele assume a culpa pela decisão de postar as matérias e diz que o restante da redação era conta a publicação das mensagens. Veja:

Meu-Erro

(Crédito: Reprodução)

Nesthoes
Outra polêmica aconteceu com o e-commerce esportivo Netshoes. Algumas pessoas relataram na internet que o preço da camiseta oficial da Chapecoense – que, até então, era comercializada pelo valor de R$ 159 – havia subido para mais de R$ 200. Em seu próprio perfil no Facebook, a Netshoes explicou que a mudança de preço se deve ao término da promoção da Black Friday. Confira o comunicado:

“A Netshoes esclarece que a camisa II da Chapecoense estava com preço promocional (as demais estavam esgotadas) e – durante a manhã de hoje – teve todas as últimas unidades vendidas pelo preço anunciado (R$159,00). Com o esgotamento do produto e por conta de programação automática do sistema, o valor retornou ao preço original (R$249,00), junto com o alerta de indisponibilidade do produto. Para ser transparente com o consumidor, o valor foi posteriormente ajustado manualmente, mas reitera-se a indisponibilidade do produto. A empresa lamenta profundamente e se solidariza com os familiares, torcida e amigos de todos os envolvidos neste triste episódio.”

Publicidade

Compartilhe

  • Temas

  • Catraca Livre

  • netshoes

  • acidente

  • Chapecoense

  • esporte

  • futebol

  • marketing

  • Mortes

  • Polêmica

  • Redes Sociais

  • Tragédia

  • Vítimas

Comente

“Meio & Mensagem informa que não modera e tampouco apaga comentários, seja no site ou nos perfis de redes sociais. No site, quando o usuário ler a indicação Este comentário foi apagado’ significa que o próprio comentarista deletou o comentário postado. Não faz parte da política de M&M gerenciar comentários, seja para interagir, moderar ou apagar eventuais postagens do leitor. Exceções serão aplicadas a comentários que contenham palavrões e ofensas pessoais. O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do cadastrado.”