Futuro: entre o discurso e a prática

Buscar
Publicidade

Ponto de vista

Futuro: entre o discurso e a prática


18 de maio de 2011 - 9h20

Falar uma coisa e fazer outra é talvez inerente ao humano. No caso de algumas pessoas e instituições – partidos políticos e igrejas, por exemplo – a distância entre discurso e ação costuma sinalizar falha de caráter ou má fé. Mas, na maioria das pessoas, o descompasso entre aquilo em que acreditamos e o que temos condições de praticar em determinado momento costuma ser parte do desafio da mudança. E se isto é flagrante nos nossos pequenos projetos de transformação pessoal, como começar um regime ou largar o cigarro, fica muito mais evidente nas grandes rupturas de paradigmas – como a que estamos vivendo hoje na comunicação e no marketing.

Uma das constatações mais interessantes do estudo sobre as transformações da comunicação e do marketing no mercado brasileiro, realizado pelo Grupo TV1 e o Centro de Altos Estudos e Pesquisas de Mercado da ESPM, e recém divulgado na imprensa, é justamente a defasagem entre as crenças dos executivos e as práticas das empresas.

A pesquisa, que envolveu diretores de comunicação e marketing de 125 empresas da linha de frente da economia, avaliou 5 dimensões consideradas chave no novo ambiente de comunicação e negócios em rede: gestão de marca e reputação; interatividade e colaboração; integração; tecnologia e mensuração de resultados. E comprovou que, também no nosso negócio, o pensamento caminha à frente da ação.

Isto fica claro, em especial, em relação à integração, que aparece em primeiro lugar entre as crenças mais relevantes, porém apenas em terceiro entre as práticas mais disseminadas. O descompasso se repete no que se refere à interatividade e à mensuração de resultados – neste caso, embora haja consciência crescente da necessidade de avaliar a eficácia dos investimentos, aumenta também a complexidade para implementar a mensuração na prática. Ainda mais no contexto da integração, já que medir ROI em múltiplos canais e dimensões requer metodologias específicas, mas também integráveis. Sem falar em quanto ainda é desafiante quantificar a geração de valor intangível para as marcas.

No conjunto, ao mapear em que medida as novas dimensões já estão incorporadas às estratégias, o estudo concluiu que apenas 8% das empresas brasileiras estariam alinhadas com as chamadas práticas de futuro. Quase um terço (32%) permanece no patamar mais atrasado, enquanto a maioria (60%) se situa em algum ponto intermediário – ou seja, está em evolução. O que é certamente positivo, ainda mais se compararmos este dado com os resultados da primeira edição do estudo, em 2008. Naquele ano, quase a metade das organizações pesquisadas (46%) ficou no patamar mais atrasado.

Os resultados detalhados da pesquisa podem ser acessados em "Agenda do Futuro" mas resumo aqui as 4 tendências que ela sinaliza para o futuro:
– Criação de uma cultura de transparência e integração
– Esgotamento do branding e valorização da comunicação institucional e interna
– Imperativo da interatividade e a emergência de um novo modelo de negócios
– Volatilidade da tecnologia e a crise como elemento estrutural na gestão de marca e reputação.
Mas o resultado mais relevante talvez seja mesmo comprovar o quanto os executivos estão mobilizados pelo desafio de evoluir para práticas mais adequadas ao novo cenário. Como sintetizou um diretor de marketing durante as entrevistas em profundidade da pesquisa qualitativa: “Nós estamos passando por uma mudança tão grande da sociedade industrial para a sociedade em rede, que o processo de transição é dolorido demais, tanto para quem está olhando mais à frente quanto para quem está mais atrás, mas o processo é inexorável”.
 

wraps

Publicidade

Compartilhe

Veja também

  • Com Omo, Vinicius Jr amplia time de parcerias publicitárias

    Com Omo, Vinicius Jr amplia time de parcerias publicitárias

    Marca da Unilever escolhe jogador para celebrar duas décadas da campanha Se Sujar Faz Bem; Clear, Nike, Gatorade são outros anunciantes a firmar parceria com o craque nos últimos dias

  • Volkswagen mantém conta de mídia global na PHD

    Volkswagen mantém conta de mídia global na PHD

    A PHD, operação do Omnicom, manteve a conta de mídia do grupo Volkswagen após participar de processo de concorrência