O profissional de mídia como ele é

Buscar

Comunicação

Publicidade

O profissional de mídia como ele é

Pesquisa exclusiva de Meio & Mensagem indica que profissional de mídia está satisfeito e otimista com a carreira


18 de junho de 2012 - 8h35

Os mídias que trabalham em agências de publicidade estão satisfeitos com a carreira e otimistas com o futuro. A maioria não pensa em trocar de área e, se mudasse, iria para o planejamento, disciplina com a qual se sentem mais afinados. Se consideram estratégicos para os negócios dos anunciantes e da própria agência, mas se percebem menos valorizados que o pessoal da criação.

Estas são algumas das principais conclusões da pesquisa Profissionais de Mídia, feito com exclusividade para o Meio & Mensagem pela empresa de pesquisa MC15, em conjunto com a e-bit (responsável pela coleta dos dados). Contando com a participação de 115 profissionais associados a grupos de mídia de sete estados brasileiros, o estudo mapeou temas como a relação dos mídias com a tecnologia e as demais áreas da agência, o papel do profissional, como ele se vê e como encara o futuro da profissão.

“As perspectivas de futuro na carreira, na visão deles, são muito positivas”, afirma Maria Eugênia Xandó Baptista, consultora da MC15. “Valorizam muito o que fazem e colocam a área com bastante importância no negócio da agência”, completa Paula Sória, também consultora da MC15.

Os mídias se consideram comunicativos, flexíveis, realistas e eficientes. Entretanto, há uma diferenciação entre os que atuam na mídia online e na off-line. O profissional de off-line, mais sedimentado no mercado, se vê mais negociador, técnico e carismático. Já os online são mais jovens e se percebem mais estrategistas e multifacetados. Independente de on ou off, eles percebem transformações no mercado que estão exigindo um novo perfil de profissional, resultando em expectativa de crescimento na área. 

wrapswraps
Pela pesquisa, fica claro que os profissionais de mídia têm relação mais estreita com as áreas de planejamento e atendimento, enquanto a criação se situa como um universo paralelo. “Vários deles vieram dessas áreas, das quais têm maiores conhecimentos, e existe de fato uma troca entre eles”, afirma Paula Sória. Mais da metade dos entrevistados só trabalhou na área de mídia e não tem interesse em mudar de setor dentro da agência. Já os profissionais de online se mostram mais flexíveis e abertos a mudanças.  
wraps
A pesquisa Profissionais de Mídia foi feita de entre os dias 5 e 16 de maio de 2012, com uma amostra de 115 profissionais dos estados de São Paulo (a maioria, 72%), Bahia, Ceará, Goiás, Minas Gerais, Pernambuco, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul. O estudo foi realizado pela MC15, em conjunto com a e-bit, e contou com o apoio do Grupo de Mídia São Paulo.

Leia a matéria completa na edição especial Profissional de Mídia

Reportagem de Sandra Regina da Silva. 

Publicidade

Compartilhe