Anselmo Ramos deixa a David e o Grupo Ogilvy

Buscar

Comunicação

Publicidade

Anselmo Ramos deixa a David e o Grupo Ogilvy

Profissional brasileiro que atua nos Estados Unidos desde 2014 vai abrir uma agência independente no ano que vem junto com o argentino Gastón Bigio, também fundador da David, rede que passa a ter Fernando Musa como chairman


30 de novembro de 2017 - 17h25

Por Alexandre Zaghi Lemos e Jonas Furtado

Os fundadores da David: Anselmo Ramos, Fernando Musa e Gastón Bigio

Um dos publicitários brasileiros mais premiados da atualidade, Anselmo Ramos está de saída da David, agência que fundou no final de 2011 junto com Fernando Musa, atual presidente do Grupo Ogilvy Brasil, e o argentino Gastón Bigio. Anselmo e Gastón permanecem na David até fevereiro, mas já se preparam para lançar uma nova agência independente no ano que vem, inicialmente com escritórios em Miami e Buenos Aires, mas com planos de chegar a São Paulo em um segundo momento.

“Desde que eu estava na faculdade, sempre tive um sonho de ter uma agência minha, mas uma agência 100% minha. Agora, depois de 10 anos de Grupo Ogilvy, com tudo o que aprendi nesse tempo, me sinto preparado. Sou muito agradecido de ter trabalhado para o nome e o sobrenome, David e Ogilvy”, diz Anselmo. Ele e Gastón são os principais responsáveis pela performance criativa da David, que já conquistou cinco Grand Prix no Festival de Cannes e atualmente tem escritórios em São Paulo, Buenos Aires e Miami, nos quais atuam cerca de 140 pessoas.

Após a saída dos fundadores Anselmo e Gáston, a David continuará atuando como uma agência independente dentro do Grupo Ogilvy, sob o comando de Fernando Musa, que passa a acumular a função de chairman da David com a de presidente do Grupo Ogilvy Brasil. “Anselmo quer tentar algo novo, é uma decisão pessoal. Não houve problema algum. Continuamos amigos. Na condução da David, a ideia é contar com as pessoas que nos ajudaram a construir a marca”, frisa Musa, que irá liderar a transição junto com o escritório da Ogilvy de Nova York.

“Musa se reportará a mim, enquanto trabalha no plano de transição para definir os próximos capítulos da David”, afirmou John Seifert, Worldwide Chairman e CEO do Grupo Ogilvy no mundo. “A David é uma referência criativa na rede Ogilvy e continuaremos a dar o nosso apoio total a esse negócio”.

Anselmo passou 14 dos seus 22 anos de carreira no exterior. Atuou nos escritórios da Y&R em Lisboa, Madrid e Miami, e também na Lowe New York. Entretanto, a consagração veio mesmo quando voltou ao Brasil, para assumir o comando criativo da Ogilvy em 2007. No período em que esteve à frente, ajudou em conquistas como no Festival de Cannes de 2013, quando foi a Agência do Ano e ganhou o Grand Prix de Titanium com o case “Retratos da real beleza”, para a Dove, da Unilever.

Após fundar a David São Paulo, Anselmo continuou conciliando a direção da nova empresa com o posto de vice-presidente de criação da Ogilvy Brasil até se mudar para os Estados Unidos em 2014, para abrir a David Miami, passando a se dedicar apenas à nova operação como CCO.

Em 2016, a David Miami conquistou dois Grand Prix em Cannes pela sua participação no case “McWhopper”, liderado pela Y&R NZ, de Auckland, vencedora dos prêmios principais em Media e em Print. Naquele mesmo ano, a David Buenos Aires, comandado por Gastón, faturou o Grand Prix for Good com o case “Manboobs”, criado para o Movimiento Ayuda Câncer de Mama (Macma).

Em 2017, ao completar três anos de dedicação exclusiva à David Miami, Anselmo voltou a subir ao degrau mais alto do Festival de Cannes para receber os Grand Prix de Print & Publishing, com o case “Flame-Grilled since 1954”, e de Direct, com “Google Home of the Whooper”. As duas campanhas foram criadas para o Burger King, anunciante onde o chefe global de marca é o brasileiro Fernando Machado, que estava na Unilever quando a equipe de Anselmo criou para Dove o “Retrato da real beleza”.

Publicidade

Compartilhe

Comente

“Meio & Mensagem informa que não modera e tampouco apaga comentários, seja no site ou nos perfis de redes sociais. No site, quando o usuário ler a indicação Este comentário foi apagado’ significa que o próprio comentarista deletou o comentário postado. Não faz parte da política de M&M gerenciar comentários, seja para interagir, moderar ou apagar eventuais postagens do leitor. Exceções serão aplicadas a comentários que contenham palavrões e ofensas pessoais. O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do cadastrado.”