Copa das Marcas: Guaraná Antarctica lidera 4º jogo do Brasil

Buscar

Marketing

Publicidade

Copa das Marcas: Guaraná Antarctica lidera 4º jogo do Brasil

Marca da Ambev volta ao topo durante disputa contra o México no Twitter após queda fora do ranking das cinco marcas mais mencionadas na competição contra Costa Rica

Thaís Monteiro
3 de julho de 2018 - 10h23

 

Campanha da marca teve homenagem ao camisa 9, Gabriel Jesus, e firmamento de fidelidade ao Brasil com interrupção das exportações do produto (Crédito: Reprodução/Guaraná Antarctica)

A disputa entre as marcas mais mencionadas durante os jogos do Brasil no Twitter sofreu uma reviravolta nesta segunda-feira, 2, durante o jogo do Brasil contra a seleção Mexicana. O Guaraná Antarctica, patrocinador da CBF e líder dos dois primeiros jogos, que saiu do ranking na partida contra a Costa Rica, voltou à primeira posição. Por sua vez, o McDonald’s, patrocinador da Fifa, não conquistou vaga das cinco.

Este foi o jogo com maior número de tuítes relacionados à Copa e com menções às 29 marcas patrocinadoras e parceiras da CBF, Fifa e da transmissão da Globo: um total de 21 mil publicações mensuradas pela Scup Social* à pedido do Meio & Mensagem, quantidade maior que a soma das publicações feitas nos três partidas anteriores. O Guaraná Antarctica recebeu 79,6% delas — número maior do que as porcentagens dos três jogos anteriores.

A operadora Vivo (8,3%), patrocinadora da Seleção Brasileira e da Globo, manteve a segunda colocação que manteve em todas as partidas. O Itaú, patrocinador da CBF, subiu de posição (esteve no quarto lugar na primeira rodada e quinto na terceira) e, com 4,2% das interações, ficou em terceiro. Em quarto pela segunda vez ficou a marca 3 Corações (parceira da Seleção Brasileira), com 4,1%. A Coca-Cola (parceira da Fifa) se manteve na classificação desde o início e os 3,8% dos tuítes que teve resultou no quinto lugar.

 

https://twitter.com/guarana/status/1013813951136714754

O ranking, dominado majoritariamente pelos patrocinadores da CBF, contribuiu para este grupo ser o primeiro entre as três instituições: CBF (87,3%), Globo (7,3%) e Fifa (5,4%). O grupo de patrocinadores da transmissão da Globo esteve no segundo lugar pela primeira vez neste jogo. O única partida em que as marcas aliadas à Seleção não esteve em primeiro foi o da Costa Rica.

Já entre 28 de junho e 1 de julho, intervalo entre as competições do Brasil, a marca mais mencionada a Vivo (25,5%), que manteve a liderança que obteve no jogo anterior, entre os 7 mil tuítes mensurados. Adidas, parceira da Fifa, entrou pela primeira vez no Top 5 em segundo lugar (24,8%) disputando com McDonald’s (também 24,8%). O ranking teve mais marcas brasileiras em quarto e quinto: 3 Corações (14,3%) e Itaú (10,6%). A ordem dos grupos foi: Fifa (63,3%), CBF (22,8%) e Globo (13,9%).

Durante o jogo do Brasil contra o México, a maioria das publicações teve teor negativo (37,7%), em seguida neutro (31,6%) e positivo (30,6%). Já nos dias entre disputas da seleção, a ordem se manteve a mesma: negativo (37%), neutro (32,9%) e positivo (30%).

*O levantamento considera apenas as informações coletadas pela Scup durante os jogos da seleção brasileira, logo, pode variar caso seja feito com outra plataforma ou sob o cruzamento de várias ferramentas

**Crédito da imagem no topo: Clive Rose/GettyImages

Publicidade

Compartilhe