Mercado Bitcoin vira MB e reestrutura portfólio de soluções

Buscar
Publicidade

Marketing

Mercado Bitcoin vira MB e reestrutura portfólio de soluções

Rebranding, criado pela Monkey-land, e reestruturação do ecossistema de produtos têm o objetivo de antecipar a democratização da Web3 e da blockchain

Amanda Schnaider
10 de junho de 2022 - 13h10

Com o objetivo de atualizar a marca, criada em 2013, o Mercado Bitcoin passa a se chamar MB. O movimento vem acompanhado de uma reestruturação dos negócios e das marcas que pertencem à holding 2TM. “Juntou a fome com a vontade de comer. Precisávamos atualizar a marca e precisávamos organizar a nossa arquitetura de empresas”, explica Robson Harada, que em abril deste ano assumiu o posto de chief marketing and growth officer da 2TM.

Segundo o executivo, a companhia decidiu mudar a marca para aumentar o acesso aos seus produtos e facilitar o entendimento do consumidor. “A ideia teve isso por trás, simplificação, acesso, democratização e o reforço de uma marca forte que tem uma missão poderosa”, completa o CMGO. A Monkey-land foi a responsável por todo o rebranding.

 

Mercado Bitcoin adota o prefixo MB (crédito: divulgação/MB)

Segundo Harada, o prefixo MB já era usado tanto internamente quanto nas comunicações da companhia. “Assumimos de vez essa bandeira, respeitando no nosso legado, toda a reputação que essa marca já construiu, mas adotamos o MB e colocamos a lógica de prefixo e sufixo. MB como a marca-mãe e os nossos produtos e serviços e as empresas que haviam sido adquiridas se tornam produtos”, reforça. Dessa forma, as marcas da holding passam a se chamar MB, com exceção de três: Blockchain Academy, Portal do Bitcoin e CriptoLoja, que se mantém como marcas independentes.

Com a reestruturação, as áreas especializadas em atender clientes institucionais ou de grande volume de negócios, passam a ser chamadas de MB One e MB Private. Como um canal exclusivo de atendimento, o MB One pretende oferecer uma solução completa de serviços e produtos dentro do contexto da nova economia digital, com foco em atendimento personalizado e educação financeira.

Clientes que buscam resultados no curto prazo a partir da volatilidade do mercado passarão a ser atendidos pela MB Traders, que terá um time de especialistas traders do mercado financeiro focado em atender as necessidades dos traders de criptoativos. Junto a esse serviço, o MB também criou a Sala de Trade, uma sala exclusiva de cripto. O MBDA e a Clearbook será o MB Tokens, focado na tokenização de ativos reais e em equity crowdfunding.

A ParMais, inteligência em gestão de patrimônio e investimentos financeiros, adquirida pelo grupo 2TM, passa a se chamar MB Assets, e passa a oferecer novos produtos, como a renda fixa digital. A empresa continua sob a gestão dos seus fundadores Annalisa Blando e Alexandre Amorim. Ainda como parte da reorganização dos negócios, clientes de empresas parceiras terão a seu dispor o MB Cloud, um serviço de crypto-as-a-service, podendo oferecer hold, compra e venda de criptoativos a seus clientes em seus apps e plataformas.

Novo posicionamento 

Além da marca, o conceito de comunicação do MB também muda. O atual slogan “Vem pra nova economia digital” muda para “Quem chega antes, vence”. Harada explica que esse posicionamento é elástico, pois o sufixo “vence” pode mudar de acordo com a necessidade da comunicação. “Todas as plataformas de comunicação vão usar o “Quem chega antes”, muito com  a ideia de mover as pessoas. As pessoas precisam entender que está acontecendo uma evolução, que essas tecnologias novas vão mudar de maneira profunda as pessoas, a sociedade e a economia, e que quanto antes você começar, melhor”, enfatiza.

A nova campanha de comunicação foi estruturada a partir de um manifesto que quer chamar a atenção para o pioneirismo e legado e toda inovação de produtos e novas oportunidades que o MB oferece desde sua criação. O conteúdo será embalado por uma linguagem leve, com emojis, simples e flexível. “Trazemos um posicionamento que tem por trás uma lente que é muito voltada para as pessoas e o poder que queremos dar para as pessoas através dessas novas tecnologias e da importância de você se antecipar, de chegar dentro de um novo contexto”, diz o CMGO, reforçando que em um primeiro momento a comunicação está sendo usada na base de clientes do MB e nos canais digitais da empresa.

Apesar disso, como parte da estratégia, o conceito se desdobrará em diversas frentes. O “Quem chega antes, ganha”, por exemplo, será usado em ativações call to action para estimular novos clientes a começarem, incluindo programas de cashbacks e referral, eventos, lives, muito conteúdo educativo com o estímulo de sempre celebrar e reconhecer todas as pessoas que têm atitude e começam antes. “Ainda estamos monitorando, entendendo alguns movimentos do mercado para ir para um movimento mais massivo. Está no radar, mas ainda não tem data definida para isso”, finaliza Harada.

Mudança de carreira

Em abril deste ano, Harada deixou o cargo de head of growth marketing do Itaú, no qual estava desde setembro de 2019, para assumir uma nova missão como Chief Marketing and Growth Officer da 2TM. O executivo diz que estava bem e satisfeito no Itaú, porém estava em busca de uma missão maior: colaborar com a democratização e o acesso à Web3 e as tecnologias de blockchain no Brasil e no mundo. ”

Quando surgiu a oportunidade de ir para esse projeto, e o ecossistema para mim que é o mais virtuoso de uma empresa local, com fundadores locais, que está querendo fazer um trabalho de inclusão, de diversidade, de impacto na sociedade, e eu poder colaborar com isso em nível executivo e colaborar com a direção e com a aceleração da adoção dessas tecnologias que eu acredito que vai mudar a vida das pessoas e da economia, foi esse o meu grande motivador: uma missão”, explica.

Publicidade

Compartilhe

Veja também