Polícia Federal abre inquérito para investigar líder da Secom

Buscar

Mídia

Publicidade

Polícia Federal abre inquérito para investigar líder da Secom

Investigação será feita pela Superintendência da Polícia Federal, e, Brasília, e correrá em sigilo


4 de fevereiro de 2020 - 18h52

Fabio Wajngarten, chefe da Secom (Crédito: Divulgação)

Uma semana depois do Ministério Público ter solicitado à Polícia Federal a abertura de investigações para averiguar supostas irregularidades de Fabio Wajngarten, secretário especial da Secom, do Governo Federal, o órgão atendeu ao pedido e abriu inquérito para avaliar supostas práticas de corrupção passiva, peculato e advocacia administrativa.

A notícia foi dada pela Folha de S.Paulo, cujas reportagens acabaram originando o pedido de investigação da conduta de Wajngarten à frente da Secom No dia 15 de janeiro, a Folha publicou uma reportagem que destacava que o líder da Secom era sócio da FW Comunicação e Marketing – empresa que possui contratos fixos com emissoras de TV e agências de publicidade. Conhecida como Controle da Concorrência, a FW Comunicação e Marketing presta serviços de consultoria e pesquisa para o setor de mídia e publicidade e, de acordo com a reportagem da Folha, têm entre seus clientes a Record e a Band e também às agências Artplan, Nova/SB e Propeg (as três agências dividem a conta publicitária da Caixa). A Folha divulgou, na ocasião, que Wajngarten possui 95% das ações da empresa, enquanto sua mãe, Clara Wajngarten, detém os 5% restantes.

Em sua defesa, Wajngarten respondeu, na época, que deixou o comando da empresa assim que foi escolhido para ocupar o posto de líder da Secom, como determina a Lei. A reportagem da Folha, no entanto, chamava a atenção para o fato de que as mesmas empresas clientes da companhia da qual Wajngarten é sócio são os veículos para os quais a Secom direciona as verbas de publicidade do governo federal.

Agora, a Superintendência da Polícia Federal, em Brasília, irá conduzir as investigações em sigilo. Na semana passada, quando surgiu a notícia do pedido de investigação pelo Ministério Público Federal, Wajngarten declarou, em nota, que a investigação seria uma oportunidade de provar que não cometeu qualquer irregularidade.

Publicidade

Compartilhe

  • Temas

  • fabio wajngarten

  • Secom

  • Polícia Federal

  • ministério público

  • comunicacao

  • Publicidade

  • Brasil

  • governo federal

  • comunicação pública

  • Investigação

Comente

“Meio & Mensagem informa que não modera e tampouco apaga comentários, seja no site ou nos perfis de redes sociais. No site, quando o usuário ler a indicação Este comentário foi apagado’ significa que o próprio comentarista deletou o comentário postado. Não faz parte da política de M&M gerenciar comentários, seja para interagir, moderar ou apagar eventuais postagens do leitor. Exceções serão aplicadas a comentários que contenham palavrões e ofensas pessoais. O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do cadastrado.”