Elevadores residenciais ganham protagonismo no OOH

Buscar

Mídia

Publicidade

Elevadores residenciais ganham protagonismo no OOH

Eletromidia Elemidia e Helloo formulam planos comerciais para ampliar relação entre marcas e consumidores em condomínios

Salvador Strano
17 de abril de 2020 - 6h00

Crédito: divulgação

Um dos efeitos do distanciamento social, adotado para frear o contágio do novo coronavírus (Covid-19), no mercado publicitário foi a queda no investimento em mídia out of home. A retração, entretanto, não atingiu todo o segmento. A busca por mídia em elevadores residenciais tem crescido junto com o aumento do número de profissionais em regime de trabalho remoto.

Ao mesmo tempo, parte dos anunciantes tradicionais de elevadores pausou seu plano de mídia por conta da crise econômica causada pela Covid-19. Para atender à essa nova demanda, exibidoras têm adaptado planos comerciais e flexibilizado cobranças junto aos anunciantes.

“Em volume, 70% das veiculações na Helloo são de empresas do varejo e de educação”, afirma Felipe Forjaz, CEO da Helloo. “Essas empresas interromperam seus negócios devido ao isolamento social. Com isso, hoje a maioria das campanhas são de bancos, como Santander, e plataformas de VOD, como Netflix – além do Governo Federal com campanhas de conscientização”, destaca o executivo.

Para os seus anunciantes tradicionais, entretanto, a Helloo anunciou uma linha de pagamento para que as marcas não deixem de veicular na plataforma. Quem decidir manter o planejamento poderá pagar o valor dos anúncios em até 120 dias depois da execução. Além disso, o marketplace da exibidora também permite o parcelamento do valor no cartão de crédito e oferece 50% de desconto na criação do layout das campanhas para os clientes que não tenham agências de publicidade.

Já a operação da Eletromidia Elemidia, resultante da união entre os dois players do segmento, observa que alguns setores econômicos ganharam mais protagonismo no interesse por anúncios nas mídias nos elevadores.

“Houve uma concentração maior daqueles anunciantes que atuam em segmentos menos vulneráveis no momento, que estão assumindo seu papel cívico ao fazer parte da vida das pessoas ou que estão buscando meios que os conectem às pessoas que estão em casa”, afirma Alexandre Guerrero, chief strategy officer da Eletromidia Elemidia.

Atualmente, a empresa conta com faces em cerca de 3,5 mil torres residências, que alcançam, segundo dados da empresa, dois milhões de pessoas por semana. Durante esse momento de isolamento social, a empresa construiu um modelo de mídia dinâmica, que produz uma troca diária de mensagens, com curadoria de conteúdo e mensagens do próprio condomínio.

“Entre as descidas e subidas ao buscar um delivery ou idas aos supermercados, por exemplo, estamos levando marcas, produtos e serviços que podem influenciar na nova rotina de consumo às quais as pessoas estão buscando se adequar”, finaliza Guerrero.

*Crédito da imagem no topo: Romolo Tavani/iStock

Publicidade

Compartilhe