AO VIVO

Assista ao vivo a transmissão da cerimônia do Caboré 2021

Com Trump suspenso, redes se atentam aos discurso de ódio

Buscar

Mídia

Publicidade

Com Trump suspenso, redes se atentam aos discurso de ódio

Presidente norte-americano foi permanentemente suspenso do Twitter; ação reverberou em outras plataformas


11 de janeiro de 2021 - 11h43

Conta de Donald Trump foi suspensa na sexta-feira, 8 (Crédito: Reprodução/ AdAge)

Com informações do AdAge

O embate entre o presidente norte-americano Donald Trump e as redes sociais ganhou uma nova página na última sexta-feira, 8. O Twitter suspendeu permanentemente a conta do republicano de sua plataforma. Na semana passada, Facebook, Instagram e Snapchat também baniram as contas do presidente em suas redes por tempo indeterminado. Já o Twitter, até então, estava bloqueando as postagens de Trump, até tomar a decisão de suspender a conta pessoal do presidente.

A medida do Twitter foi tomada após Trumop usar as redes sociais para elogiar seus apoiadores que invadiram o Capitólio, sede do Congresso dos Estados Unidos, durante reunião para validação da vitória de Joe Biden, na última quarta-feira, 6. Cinco pessoas morreram no protesto.

Após a suspensão permanente de sua conta no Twitter, Trump tentou escapar da proibição usando o perfil @POTUS, um canal oficial do governo. A tentativa, no entanto, não deu certo e o Twitter removeu as novas publicações do presidente. A suspensão permanente é a penalidade mais severa da rede social. No mesmo dia, em um comunicado, a plataforma justificou a ação.

“Após uma revisão detalhada dos recentes tweets da conta @realDonaldTrump e o do contexto em torno deles, suspendemos permanentemente a conta devido ao risco de mais incitação à violência”, escreveu a equipe de segurança do Twitter. Segundo os termos da plataforma, o usuário suspenso não pode usar outras alternativas para acessar o Twitter, por isso as postagens na conta @POTUS foram removidas. A conta oficial da presidência dos Estados Unidos no Twitter será entregue ao presidente eleito Joe Biden após sua posse, marcada para o próximo dia 20.

Mas, para além disso, o movimento realizado pelo Twitter parece ter incentivado uma onda de ações contra a esfera conservadora nas redes sociais. Na sexta-feira, 8, o Reddit, um site dedicado a fóruns controlados por usuários, baniu uma comunidade de apoiadores do presidente chamada “DonaldTrump”.

Enquanto isso, Google e Apple anunciaram a remoção de suas lojas de aplicativos da rede social Parler, que se tornou um refúgio para apoiadores da extrema direita, que costumam propagar teorias da conspiração e que teria sido decisivo para organização do protesto que invadiu o Capitólio. A Amazon também anunciou neste fim de semana que vai desalojar o aplicativo de seus servidores.

*Crédito da foto no topo: DKosig/iStock

Publicidade

Compartilhe