O que o público LGBTQIA+ espera das marcas?

Buscar

Mídia

Publicidade

O que o público LGBTQIA+ espera das marcas?

Twitter indica preferências do público LGBTQIA+ por autenticidade e ações práticas


17 de junho de 2021 - 6h00

O mês de junho, também conhecido como o Mês do Orgulho, acaba por se tornar uma época do ano em que as marcas apostam muito na publicidade direcionada ao público LGBTQIA+, seja para celebrá-los ou atrair novos consumidores. Para entender a resposta do público LGBTQIA+ brasileiro sobre tais investimentos publicitários, o Twitter e a MindMiners realizaram uma pesquisa em março. Os resultados indicam que recepção dessas campanhas depende do tipo de história contada e relação da marca com o tema.

 

(Crédito: Tristan Billet/Unsplash)

Dados relevantes do estudo propõe que a verba destinada ao tema ou o período é melhor aproveitada fora dos filmes publicitários tradicionais e sim em patrocínios e ações sociais. Dos entrevistados, 75% considera positivo marcas se associarem a eventos da comunidade LGBTQIA+ e 67% destaca marcas que apoiam instituições de caridade em serviço da comunidade e conscientizam o público sobre elas.

Em relação a à comunicação, autenticidade de narrativa e informações ainda são aspectos importantes para a criação das campanhas. Dos respondentes, 68% afirma que histórias e pessoas reais é uma forma interessante das marcas abordarem representatividade; 56% acredita que é importante trazer mais informação sobre o tema; e inspiração (52%).

A pesquisa ainda consolidou dados que justificam um maior investimento das empresas nesse público não só no mês de junho, pois a comunidade LGBTQIA+ brasileira demonstra ser fiel e formadora de opinião. Cerca de 78% diz que se mantem leal às marcas que gostam e 53% informa que familiares e amigos o buscam para opinar sobre produtos e serviços.

Além de fazer a comunicação do estudo, para celebrar o Mês do Orgulho LGBTQIA+, o Twitter Brasil lançou um emoji de arco-íris para acompanhar a hashtag #OrgulhoSempre.

**Crédito da imagem no topo: Cecilie Johnsen/Unsplash

Publicidade

Compartilhe