Após denúncias de assédio, rede CBS demite CEO

Buscar

Últimas notícias

Publicidade

Após denúncias de assédio, rede CBS demite CEO

Decisão foi tomada após reportagem da The New Yorker trazer à tona relatos de mulheres que teriam sido vítimas do executivo


10 de setembro de 2018 - 9h36

Leslie Moonves era CEO da rede de TV norte-americana desde 1995 (Crédito: Reprodução)

Leslie Moonves, CEO da rede de TV norte-americana CBS, está fora da companhia. O anúncio foi feito na noite desse domingo, 9, após a revista The New Yorker ter publicado uma reportagem em que seis mulheres acusam o executivo de assédio sexual, má conduta e intimidação. Segundo a matéria da publicação, mulheres que tiveram contatos profissionais com Moonves declararam que os atos teriam sido cometidos no final dos anos 80 e que, por diversas vezes, Moonves teria aproveitado reuniões de negócios para tocá-las indevidamente ou tentar beijá-las, fazendo também ameaças intimidatórias.

De acordo com comunicado divulgado pela companhia nesse domingo, 9, Moonves e a CBS irão doar cerca de US$ 20 milhões para organizações que apoiam o #MeToo, movimento pela equidade de gênero e respeito às mulheres no ambiente profissional. Ainda segundo a companhia, a doação será deduzida da indenização que a CBS teria de pagar ao ex-CEO. A respeito disso, a rede de TV deixou claro que o Moonves não receberá nenhum tipo de indenização, por enquanto, mas que certamente terá direito a receber as compensações e benefícios adquiridos. Qualquer pagamento destinado a Moonvez, no entanto, dependerá dos resultados das investigações que envolvem o executivo.

Joseph Ianniello, que entrou na CBS em 2005 e que ocupava a função de chief operating officer (COO) desde 2013 foi escolhido como o novo presidente e CEO interino enquanto a companhia busca por um substituto definitivo de Moonves. A função de chairman também permanece em aberto.

A ação da CBS aconteceu após a revista The New Yorker publicar uma reportagem que detalhe seis acusações de má conduta sexual contra Moonves. De acordo com o comunicado oficial da CBS, a National Amusements, companhia proprietária da rede de TV, não há planos de união entre a CBS e a Viacom, outa companhia do grupo e nem haverá possibilidade de essa fusão ser proposta pelos próximos dois anos. Moonves se opunha a ideia de unir as duas empresas.

Moonves chegou à CBS em 1995 como presidente da área de entretenimento, tornando-se CEO em 2006, quando houve a separação entre as operações de CBS e Viacom (antes, as empresas atuavam de forma integrada). Moonves mantinha presença constante nos upfronts de TV e na apresentação anual da programação e fazia questão de falar diretamente com a imprensa e até mesmo de negociar com os anunciantes da rede, algo não muito comum para os CEOs de emissoras de TV.

Sob o comando de Moonves, a CBS tornou-se a emissora de TV líder nos Estados Unidos em 15 das últimas 16 temporadas de programação. Ele também ajudou a posicionar a companhia no pilar dos serviços de streaming, lançando o CBS All Access. Moonves também era diretamente envolvido na programação do canal, tendo começado, inclusive, a carreira como ator, com um participação no filme “O Homem de Seis Milhões de Dólares”. Depois, já trabalhando por trás das câmeras, foi executivo da Lorimar e Warner Bros, onde se tornou de CEO da área de Studios, unidade de produção da companhia, tendo participado do desenvolvimento de sucessos como Friends e ER.

Com informações do Advertising Age e The New Yorker

Publicidade

Compartilhe

Comente