Gerando Falcões lança marca própria de produtos

Buscar

Gerando Falcões lança marca própria de produtos

Buscar
Publicidade

Marketing

Gerando Falcões lança marca própria de produtos

Verba arrecadada será reinvestida em projetos sociais de combate à pobreza e promoção de serviços de educação, desenvolvimento econômico e cidadania


30 de novembro de 2021 - 16h10

Os novos produtos estão disponíveis através do e-commerce a partir dessa terça-feira, 30, e estarão nas lojas físicas a partir de sexta-feira, 3 (Crédito: Divulgação)

A rede Gerando Falcões está lançando nesta terça-feira, 30, uma linha de produtos próprios, que conta com itens de vestuário e acessórios. Os produtos foram desenvolvidos com o apoio da agência 100% Design e podem ser encontrados nas lojas físicas e no e-commerce do instituto.

“Usar ou comprar produtos Gerando Falcões, além de ajudar a aumentar nossos recursos, traz um reconhecimento social, uma valoração coletiva, dentro do universo da consciência solidária”, afirma Mayara Lyra, diretora de negócios sociais da Gerando Falcões.

Ela comenta que a linha própria vem para reforçar a marca, ajudar na diversificação de receita e também na capacitação de jovens. “Nós vamos fechar o ano com 130 jovens formados. Nós trabalhamos duro para realmente empregá-los no mercado de trabalho. Eles já saem com uma experiência, pois ficam seis meses sendo treinados tanto na parte teórica, quanto na parte prática nas frentes do bazar:  loja física, centro de distribuição, e-commerce e central de atendimento”, conta a diretora.

A linha de produtos conta com itens de vestuário e acessórios (Crédito: Divulgação)

O instituo lançou o bazar Gerando Falcões no ano passado após provocações dos investidores para que diversificassem as fontes de renda, pois ficar completamente dependente de doações poderia ser algo perigoso. A partir daí, os organizadores criaram o bazar como o primeiro negócio social do projeto, também com o objetivo de capacitar jovens, produzir receita na comunidade e garantir a compra de itens de qualidade em bom estado e com preço de até 70% de desconto em relação aos valores praticados no mercado tradicional.

“Acabamos de completar um ano com o nosso primeiro negócio nessa semana e vamos bater cinco milhões em vendas, o que deixa uma margem de lucro líquido de 20%. Por isso nosso plano de escalonar o nosso negócio social. A marca própria faz parte desse plano e só vem para reforçar nosso objetivo e levar o projeto para um novo patamar”, comenta Mayara.

A verba arrecadada com a venda dos produtos da marca, assim como os itens do bazar, é reinvestida em projetos sociais mantidos pela organização no combate à pobreza através de serviços de educação, desenvolvimento econômico e cidadania.

“Os negócios sociais vêm para reforçar nossos propósitos e acelerar o processo até a nossa meta: transformar a pobreza da favela em obra de museu. Nosso plano ainda é muito maior: queremos no ano que vem ter o dobro de lojas que temos, queremos que os produtos da Geraldo Falcões sejam um sucesso, que a gente possa cada vez mais criar itens e que a comunidade participe do desenvolvimento dessas artes. Estamos só no começo”, promete.

**Crédito da imagem no topo: ARTsiri/Shutterstock

Publicidade

Compartilhe

Veja também

  • Trabalho: 4 em cada 10 profissionais LGBT+ já sofreram discriminação

    Trabalho: 4 em cada 10 profissionais LGBT+ já sofreram discriminação

    Dado faz parte de levantamento feito para a iO Diversidade pelo Instituto Locomotiva e QuestionPro

  • Os planos da Sadia para cativar os consumidores do futuro

    Os planos da Sadia para cativar os consumidores do futuro

    Marca da BRF investe em música, com Lollapalooza, esporte, com a NBA, e novidades no portfólio para se conectar com o público jovem e a geração Z