Neoenergia se torna patrocinadora do futebol feminino brasileiro

Buscar

Neoenergia se torna patrocinadora do futebol feminino brasileiro

Buscar
Publicidade

Marketing

Neoenergia se torna patrocinadora do futebol feminino brasileiro

Empresa assinou contrato com a CBF para o patrocínio das seleções até 2024; Brasileirão feminino faz parte do acordo e ganha o nome de Brasileirão Feminino Neoenergia


2 de junho de 2021 - 9h54

Neoenergia se torna nova patrocinadora da seleção brasileira feminina e do campeonato brasileiro. (Créditos: Thais Magalhães/CBF)

A Neoenergia, empresa parte do grupo espanhol Iberdrola, e que atua em solo brasileiro desde 1997, se tornou a nova patrocinadora do futebol feminino no Brasil. O acordo foi firmado com a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) nesta terça-feira,1, e anunciado pela entidade em suas redes sociais oficiais.

O contrato tem quatro anos de duração e prevê a permanência da marca como patrocinadora nos uniformes de treino da seleção feminina, ações promocionais e ativações nas redes sociais.

Até 2024, a marca deve acompanhar a Seleção brasileira feminina em competições como Jogos Olímpicos de Tóquio e de Paris, Copa América e a Copa do Mundo. As seleções de base (sub-20 e sub-17) também serão contempladas.

A Neoenergia é a primeira empresa no país a patrocinar exclusivamente a seleção feminina. A Neoenergia e o Grupo Iberdrola desenvolvem um projeto que impulsiona a participação das mulheres no esporte, e que, atualmente, conta com mais de 330 mil atletas subsidiados pela marca.

“Apostamos nessa ação de apoio ao esporte feminino com a convicção de que lutamos pela igualdade de oportunidades. Essas esportistas são o espelho em que miram muitos homens e mulheres, são exemplos para tantas outras que veem no esporte uma janela de oportunidades”, comentou Mario Ruiz-Tagle, CEO da Neoenergia durante a apresentação da marca.

Além disso, o Campeonato Brasileiro Feminino A1 também será beneficiado pelo acordo. A empresa terá seu nome gravado nas placas de publicidade presentes nos estádios onde acontecem os jogos e nos backdrops de entrevistas. A partir de agora, a competição passa a se chamar Brasileirão Feminino Neoenergia.

Rogério Caboclo, presidente da CBF, reforça a importância do acordo tanto para a entidade quanto para o engajamento com o esporte. “Essa parceria vai conjugar o apoio ao futebol feminino com as causas da igualdade e da sustentabilidade”, reforça. Por determinação da Conmebol, todos os times masculinos de futebol que disputam competições sul-americanas, como a Libertadores, precisam ter uma equipe feminina.

Atualmente, o Brasileirão Feminino conta com patrocínio master das marcas Guaraná Antárctica e Riachuelo. As transmissões são realizadas pela CBF TV e pelo Canal Desimpedidos, na internet, e aos domingos pela Band, na TV Aberta. Até o momento, 11 rodadas já foram disputadas pelas 16 equipes.

Vale ressaltar, também, que no final de 2020, o Guaraná Antárctica propôs uma ação que convidava as marcas a apoiarem o futebol feminino. Como retribuição, os apoiadores seriam estampados nas latinhas do refrigerante. A ação desenvolvida pela Soko conseguiu a participação de Avon, Banco BMG, Burger King, Consul, ESPN, GOL, Halls, Lay’s, Puma e Vivo.

Publicidade

Compartilhe

Veja também

  • Vinicius Jr. se torna embaixador global da Clear

    Vinicius Jr. se torna embaixador global da Clear

    Ao lado de Haaland, jogador da seleção passa a integrar time de embaixadores e estratégia voltada ao Brasil

  • PL 1904/24: as marcas devem se posicionar sobre o assunto?

    PL 1904/24: as marcas devem se posicionar sobre o assunto?

    Proposta que visa equiparar a pena de aborto à de homicídio gera mobilização e discussões a respeito do envolvimento do setor privado na questão