A bola da vez!

Buscar
Publicidade

Ponto de vista

A bola da vez!


8 de junho de 2011 - 12h47

É muito comum ouvir falar sobre sustentabilidade, parece que a moda pegou e todas as empresas querem tirar uma casquinha do tal do desenvolvimento sustentável, o que deixa o consumidor bastante desconfiado. Se todas as empresas que se anunciam como favorável ao conceito, realmente estiverem agindo ou colaborando para ações de sustentabilidade, então o problema está quase resolvido.
Por falar em conceito, vamos entender exatamente o que é isto de que estamos falando, assim fica mais claro e mais fácil fazermos um julgamento mesmo que seja superficial sobre o assunto. O termo “sustentável” vem do latim sustentare (sustentar, defender, favorecer, apoiar, conservar, cuidar). É definido por desenvolvimento sustentável um modelo econômico, político, social, cultural e ambiental equilibrado, que satisfaça as necessidades das gerações atuais, sem comprometer a capacidade das gerações futuras de satisfazer suas próprias necessidades. (Cataliza – Rede de Cooperação para Sustentabilidade).

Sustentabilidade Social – melhoria da qualidade de vida da população, equidade na distribuição de renda e de diminuição das diferenças sociais, com participação e organização popular. Sustentabilidade Econômica – públicos e privados, regularização do fluxo desse investimentos, compatibilidade entre padrões de produção e consumo, equilíbrio de balanço de pagamento, acesso à ciência e a tecnologia. Sustentabilidade Ecológica – o uso dos recursos naturais deve minimizar danos aos sistemas de sustentação da vida: redução das resíduos tóxicos e da população, reciclagem de materiais e energia, conservação, tecnologias limpas e de maior eficiência e regras para uma adequada proteção ambiental. Sustentabilidade Cultural – respeito aos diferentes valores entre os povos e incentivos a processos de mudança que acolham as especifidades locais. Sustentabilidade Espacial – equilíbrio entre o rural e o urbano, equilíbrio de migrações, desconcentração das metrópoles, adoção das práticas agrícolas mais inteligentes e não agressivas à saúde e ao meio ambiente, manejo sustentado das florestas e industrialização descentralizadas. Sustentabilidade política – evolução da democracia representativa para sistemas descentralizados e participativos, construção de espaços públicos comunitários, maior autonomia dos governos locais e descentralização da gestão de recursos. Sustentabilidade Ambiental – conservação geográfica, equilíbrio de ecossistemas, erradicação da pobreza e da exclusão, respeito as direitos humanos e integração social. (Cataliza – Rede de Cooperação para Sustentabilidade).

As empresas que se intitulam “verdes” realmente estão atentas à sustentabilidade? Isto vale também para o Estado. Ou será que há muita camuflagem por parte das marcas que se escondem atrás deste conceito que parece ter mesmo virado a bola da vez?
Ao consumidor final, é muito simpática a ideia de que as empresas estão se preocupando com a sustentabilidade, isso agrega valor. Mas caso esta expectativa seja frustrada, o tiro pode sair pela culatra.

* Hélder Moraes é consultor e coordenador do curso de Propaganda e Marketing da Facamp

Publicidade

Compartilhe

Veja também

  • Dove ingressa na categoria de skin care corporal no Brasil

    Dove ingressa na categoria de skin care corporal no Brasil

    Marca coloca no mercado primeira linha de séruns com a proposta de oferecer benefícios que vão além da hidratação

  • Vivo reforça compromisso e antecipa metas de ESG

    Vivo reforça compromisso e antecipa metas de ESG

    Empresa adiantou compromissos climáticos e diversidade em cinco anos, até 2035; companhia foi considerada a mais sustentável do Brasil pela B3