Conexão com o torcedor

Buscar
Publicidade

Ponto de vista

Conexão com o torcedor


6 de junho de 2011 - 5h10

No mercado esportivo global o torcedor que frequenta os estádios, arenas e ginásios é sem dúvida uma das mais importantes variáveis do negócio de clubes e entidades esportivas. A frequência de público nos jogos e os hábitos de consumo desses espectadores se tornaram um dos mais importantes ativos na Indústria do Esporte no mundo. O comportamento desse grupo de consumidores tem sido estudado pelos gestores de diferentes times e ligas na Europa e EUA, já que os heavy users são uma amostra significativa das expectativas de todos os torcedores.
Os clubes de futebol no Brasil precisam compreender que devem instituir uma relação honesta e altamente profissional com seu público-alvo, buscando interligar suas marcas com valores que vão muito além de títulos e gols. Na prática os clubes devem trabalhar de forma segmentada os mais variados públicos e para isso devem individualmente transformar seus departamentos de marketing no alavancador dessa conexão de suas marcas com seus clientes, conhecendo quem são seus torcedores, seus hábitos, o que pensam e quais são os seus desejos.
Atualmente poucos clubes de futebol efetivamente criaram pontos de contato eficientes com seus públicos de interesse. As entidades devem obrigatoriamente mudar a forma com que enxergam seus torcedores heavy users e criar um novo modelo de relação com esse público, que será referência para todos os demais.
Os clubes brasileiros devem criar internamente ferramentas modernas de gestão de informações a fim de conhecer não apenas dados demográficos de seus clientes, mas principalmente diferentes variáveis do comportamento desses grupos de torcedores e estruturar abordagens mercadológicas consistentes a fim de buscar uma fidelidade de longo prazo.
Essa necessidade dos clubes já é uma realidade, falta apenas que as entidades se estruturem para conhecer e principalmente abordar seus torcedores de forma a criar uma conexão honesta e conseqüentemente rentável com esse público.
Alguns clubes estão se mexendo, mas poucos realmente criaram uma abordagem realmente inovadora e acabam dependendo dos gols de seus jogadores para poder atrair público aos seus jogos, vender produtos e alavancar os seus negócios.
O fortalecimento do marketing esportivo no futebol brasileiro depende diretamente dessa visão mais moderna e criativa dos clubes com seus milhões de torcedores.

* Amir Somoggi é diretor de consultoria em gestão esportiva da BDO

Publicidade

Compartilhe

Veja também

  • Dove ingressa na categoria de skin care corporal no Brasil

    Dove ingressa na categoria de skin care corporal no Brasil

    Marca coloca no mercado primeira linha de séruns com a proposta de oferecer benefícios que vão além da hidratação

  • Vivo reforça compromisso e antecipa metas de ESG

    Vivo reforça compromisso e antecipa metas de ESG

    Empresa adiantou compromissos climáticos e diversidade em cinco anos, até 2035; companhia foi considerada a mais sustentável do Brasil pela B3