COP 28: Como as empresas estão se preparando para o futuro?

Buscar

COP 28: Como as empresas estão se preparando para o futuro?

Buscar
Publicidade

Mídia

COP 28: Como as empresas estão se preparando para o futuro?

Em pesquisa, mais de 300 empresas foram ouvidas para tentar calibrar as expectativas dos executivos sobre sustentabilidade


23 de novembro de 2023 - 6h04

Cop 28

(Crédito: Adobe Stock)

Na “trilha da COP 28”, a maioria das empresas acredita que o Brasil possa ser o protagonista do futuro sustentável. O relatório homônimo, apresentado na noite de quarta-feira, 22, consultou mais de 300 executivos de empresas sediadas no Brasil para identificar quais são os preparativos para Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas.

A pesquisa foi realizada pelo Fundamento Grupo de Comunicação em parceria com Associação Brasileira de ESG, Instituto Capitalismo Consciente Brasil e a Associação Brasileira de Profissionais pelo Desenvolvimento Sustentável.

Entre os principais insights, o otimismo e a neutralidade dos participantes da pesquisa apontam para um novo posicionamento do governo como algo benéfico quando o assunto é sustentabilidade.

Quais os principais resultados?

Com realizações de conferências do clima desde os anos  1990, menos de 10% das empresas já participaram com representantes para COP. Em 2025, o Brasil vai sediar a COP 30, em Belém.

Para Cristiano Lagôas, presidente da Associação Brasileira de ESG, são necessárias ações imediatas por parte do segmento corporativo. “As empresas precisam deixar de fazer puxadinho e criar diretorias de ESG no centro da discussão”, diz.

As expectativas para COP 28, por outro lado, não são das melhores. Apesar de 55% estarem otimistas, quase 40% acreditam que os resultado da reunião serão negativas. Entre algumas das dúvidas atreladas a isso estão a pouca evolução concreta de COP para COP, a falta de confiança nos países e empresas que assumirão os compromissos.

Além disso, os entrevistados acreditam que fatores políticos podem se sobrepor aos argumentos técnicos assim como a falta de conscientização ambiental.

O que esperar do futuro?

Ao mesmo tempo, as respostas positivas tendem a apontar que os acordos podem melhorar a partir de regulamentações do mercado de carbono e ações assertivas para os problemas.

“Tudo indica, pelo posicionamento do governo atual, que estamos caminhando para uma legislação federal”, diz Lagôas. Com isso, 46% das empresas acreditam que será necessário adaptar todo o negócio a partir das iniciativas da COP 28.

Ainda, 16% das empresas acreditam que exista. oportunidades para o cenário catastrófico que se apresenta no futuro breve. Quase metade das companhias já trabalha dentro das políticas ESG, com quase 50% já possuindo produtos e serviços de baixo impacto ambiental.

Dos respondentes, apenas 19% trabalham com marketing e comunicação. Por fim, os entrevistados acreditam que o Brasil possa ser o protagonista nos debates sobre ESG. Porém, Marta Dourado, fundadora da Fundamento, deixou uma indagação: como o Brasil vai ser protagonista, se apenas 22% das empresas vão participar da COP 28?

Publicidade

Compartilhe

Veja também

  • Sesc TV estreia em mais de 190 países com programação cultural

    Sesc TV estreia em mais de 190 países com programação cultural

    O Sesc TV tem como missão institucional contribuir para transformação crítica e ampliar as produções nacionais

  • Globo tem faturamento recorde de publicidade no primeiro trimestre

    Globo tem faturamento recorde de publicidade no primeiro trimestre

    Impulsionada pelo BBB 24, empresa arrecadou R$ 2,33 bilhões com negociações comerciais, 18% a mais do que no início de 2023