Julgamento do caso Twitter e Elon Musk é adiado

Buscar

Julgamento do caso Twitter e Elon Musk é adiado

Buscar
Publicidade

Mídia

Julgamento do caso Twitter e Elon Musk é adiado

Após o bilionário ter retomado a oferta de compra, Justiça dos EUA deu mais prazo para que as duas partes resolvam a questão


7 de outubro de 2022 - 8h06

Nesta quinta-feira, 6, a Justiça dos Estados Unidos optou por adiar o julgamento entre o Twitter e Elon Musk que definirá os rumos da possível venda da rede social.

Elon Musk retomou a oferta de compra da rede social pelo valor de US$ 44 blihões (Crédito: Kathy Hutchns/Shutterstock)

A decisão acontece após o bilionário ter feito uma nova proposta de compra pela plataforma, voltado atrás na decisão tomada em julho, quando, em carta, comunicou formalmente a desistência de seguir com a compra da rede social.

Nesta semana, Musk fez uma nova proposta de aquisição, prometendo retomar a compra pelo valor oferecido inicialmente, de US$ 44 bilhões. A iniciativa do fundador da Tesla tem a proposta de enviar o embate judicial com a empresa de tecnologia.

A princípio, a primeira audiência entre as duas partes no tribunal aconteceria em 17 de dezembro. Musk, porém, fez a nova oferta e pediu mais tempo para levantar o financiamento para a aquisição. A Justiça, portanto, concedeu mais prazo para que as duas partes cheguem a um novo acordo.

Twitter e Elon Musk: entenda o caso

A história entre Twitter e Elon Musk teve início no primeiro trimestre do ano, quando o bilionário começou a manifestar seu interesse em adquirir a rede social e fez uma proposta formal de compra, no valor de US$ 44 bilhões. No final de abril, o Twitter aceitou a proposta de Elon Musk.

A partir daí, o clima entre as duas partes começou a ficar mais tenso quando Musk solicitou que a rede social lhe fornecesse o acesso à base de usuários. Segundo ele, a intenção era saber quantos usuários robôs ou contas falsas compõem o total da rede social.

A plataforma não abriu suas portas de dados para Musk, mas afirmou publicamente que passou ao bilionário e sua equipes as informações sobre a base de dados e que as contas falsas não corresponderiam nem a 5% do total.

A partir daí, a relação se complicou e Musk, que já havia até declarado ter feito acordos para receber investimentos que seriam direcionados à compra, disse que desistiria da compra, alegando que o Twitter não atendeu suas solicitações.

Em julho, Musk declarou formalmente a desistência do negócio. Desde então, o Twitter vem tentando fazer com que o acordo de compra seja cumprindo, destacando a cláusula que previa uma multa caso a conclusão não acontecesse. O assunto foi parar na Justiça e está sendo conduzido pelos advogados das duas partes.

Publicidade

Compartilhe

Veja também