Streaming supera TV por assinatura nos EUA

Buscar

Streaming supera TV por assinatura nos EUA

Buscar
Publicidade

Mídia

Streaming supera TV por assinatura nos EUA

Segundo a Nielsen, os 18 bilhões de minutos consumidos da série Stranger Things, na Netflix, contribuíram para esse crescimento


18 de agosto de 2022 - 16h12

Por Parker Herren, do AdAge*

O streaming finalmente conquistou a maior parcela de espectadores de TV, de acordo com o relatório de audiência da Nielsen de julho. Isso aconteceu, em grande parte, devido aos 18 bilhões de minutos de consumo de Stranger Things na Netflix durante o mês.

Em julho deste ano, os espectadores estadunidenses gastaram 34,8% do tempo exclusivamente em plataformas de streaming, mais de 190 bilhões de minutos. A participação é mais de 3% superior aos números de streaming em junho e um aumento de 22,6% em relação a julho de 2021.

 

Stranger Things ajuda a crescer audiência do streaming

Stranger Things impulsionou o crescimento do streaming nos Estados Unidos (Crédito: Divulgação/Netflix)

Os serviços que cortejam anunciantes podem se apoiar nos números da Nielsen para defender seu caso, principalmente a Netflix, que detém a maior porcentagem de visualizações de streaming e planeja lançar uma versão de assinatura suportada por anúncios no início de 2023.

Da mesma forma, um relatório recente da Samba TV descobriu que durante o segundo trimestre deste ano, os três meses anteriores a julho, o consumo linear de TV caiu para um nível recorde, com apenas metade da população dos EUA sintonizada em comparação com os 88% que usaram plataformas de streaming. Essa diferença cresceu exponencialmente entre o público com menos de 35 anos, que assistiu quase 25% menos TV linear do que faixas etárias mais velhas.

“Com 95% de todas as impressões de anúncios lineares agora atingindo apenas metade dos telespectadores americanos, atingimos um ponto de inflexão para televisão e publicidade de forma mais ampla”, disse o CEO e cofundador da Samba TV, Ashwin Navin, em comunicado. “Este é um momento de alerta para a nossa indústria. Tornou-se um imperativo de negócios para o mercado de publicidade evoluir para longe de práticas herdadas que estão levando a desperdícios significativos e oportunidades perdidas”.

“Olhando para o futuro, o streaming estará funcionando em todos os lugares”, disse Reed Hastings, fundador e co-CEO da Netflix, durante a teleconferência de resultados do segundo trimestre do serviço. “É definitivamente o fim da TV linear nos próximos cinco, dez anos”.

Além da enorme quantidade de tempo que o público passou com Stranger Things, a Nielsen descobriu que a Netflix contribuiu com quase 11 bilhões de minutos de visualizações combinadas para seus programas Virgin River e The Umbrella Academy. Os minutos de streaming também tiveram um aumento vindo de Only Murders in the Building e The Bear, do Hulu, três bilhões combinados, bem como de The Terminal List e The Boys, do Amazon Prime Video, em oito bilhões combinados.

Anteriormente, o streaming havia ultrapassado a parcela de audiência da TV aberta, mas julho marcou a primeira vez que conquistou a TV a cabo, em parte devido a um declínio na programação esportiva, como as Olimpíadas de verão, que começaram em julho passado. A audiência de TV a cabo caiu 2% em relação a junho e quase 9% ano a ano.

“Existem evidências absolutas de que a TV linear continuará a ter dificuldades em termos de cumprir historicamente o que teria sido alcançado em metas de frequência para os anunciantes”, disse Kate Scott-Dawkins, diretora global de inteligência de negócios do GroupM. “Vi muitas manchetes em torno dos comentários de Reed Hastings na última teleconferência de resultados e acho que temos ecoado isso em nossas conversas com os clientes, até certo ponto, que este é o momento de analisar as metas dos anunciantes em relação à TV e onde isso se encaixa no futuro… à medida que fica embaçada a definição ao lado do YouTube, e o que isso significa para o vídeo como uma maneira mais ampla de medir o conteúdo linear da TV em relação aos canais mais digitais”.

Publicidade

Compartilhe

Veja também

  • Anunciantes e Kantar criam novo player de medição de audiência nos EUA

    Anunciantes e Kantar criam novo player de medição de audiência nos EUA

    Chamada de Aquila, plataforma é fruto de coalização entre Associação dos Anunciantes, Kantar, Meta, Amazon e TikTok

  • Pinterest lança ferramentas de IA para criativos e performance

    Pinterest lança ferramentas de IA para criativos e performance

    Recursos estão sob guarda-chuva do Pinterest Ad Labs, novo programa de inovação da plataforma para marcas selecionadas testarem os protótipos