House of Cards ironiza situação política no Brasil

Buscar

Últimas notícias

Publicidade

House of Cards ironiza situação política no Brasil

Conta do Twitter da série, em inglês, faz menção indireta à repercussão gerada pela delação do dono da JBS


17 de maio de 2017 - 21h35

Atualizada às 9h

“Tá difícil competir.” Essa é a frase que aparece no perfil do Twitter da série House of Cards, da Netflix, na noite desta quarta-feira, 17. O post faz menção indireta à repercussão da delação de Joesley Batista, dono da JBS, envolvendo o presidente Michel Temer (PMDB) e o senador Aécio Neves (PSDB).

A postagem ocorre em meio às divulgações da Netflix para a estreia da quinta temporada de House of Cards, no próximo dia 30 de maio. Em um vídeo promocional divulgado nesta terça-feira, 16, a atriz Robin Wright, que interpreta a primeira dama Claire Underwood, faz um apelo aos eleitores da campanha que ocorre na próxima temporada.

No início da Operação Lava Jato e durante todo o processo de escândalos políticos no Brasil, House of Cards foi usada como analogia por vários veículos nacionais e internacionais. Nos Estados Unidos, a série também passou a ser associada ao atual momento da política americana com a chegada de Trump à Casa Branca. Após a repercussão do primeiro post no perfil de House of Cards, a página da Netflix Brasil respondeu aos fãs que pediam um spin-off da série:

 

 

Publicidade

Compartilhe

  • Temas

  • digital

  • memes

  • netflix

  • politica

  • Redes Sociais

Comente

“Meio & Mensagem informa que não modera e tampouco apaga comentários, seja no site ou nos perfis de redes sociais. No site, quando o usuário ler a indicação Este comentário foi apagado’ significa que o próprio comentarista deletou o comentário postado. Não faz parte da política de M&M gerenciar comentários, seja para interagir, moderar ou apagar eventuais postagens do leitor. Exceções serão aplicadas a comentários que contenham palavrões e ofensas pessoais. O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do cadastrado.”