Crianças brasileiras consomem 21h de tecnologia por semana

Buscar

Últimas notícias

Publicidade

Crianças brasileiras consomem 21h de tecnologia por semana

Jovens entre dois e cinco anos estão mais independentes, autoritários e tecnológicos


9 de outubro de 2017 - 16h30

(Crédito: Reprodução)

Com a intenção de estudar como são educadas as crianças atualmente, a Viacom International Media Networks realizou a pesquisa Little Big Kids, que compreendeu entrevistas com 6.500 famílias de crianças entre dois e cinco anos de idade em 12 países, incluindo o Brasil. A conclusão foi de que as crianças brasileiras estão mais independentes e autoritárias, aprendem brincando e fazem uso da tecnologia 21 horas semanais.

Dos respondentes brasileiros, 75% acreditam que as crianças devem aprender através de suas experiências próprias e 77% dos pais levam em consideração a opinião do filho ao tomar decisões que os compreendem. Cerca de 67% consideram brincar um método mais eficiente de aprendizado do que a educação formal.

Já em relação à tecnologia, em 68% das famílias a criança tem acesso a um tablet, onde gasta uma hora e meia de seu dia. Apesar dessa resposta, a pesquisa aponta que a média nacional é de três horas na faixa etária estudada. Ainda assim, 72% dos pais acreditam que a tecnologia torna seus filhos mais inteligentes.

Publicidade

Compartilhe

  • Temas

  • Crianças

  • Educação

  • Little Big Kids

  • pesquisa

  • tecnologia

  • Viacom International Media Networks

Comente

“Meio & Mensagem informa que não modera e tampouco apaga comentários, seja no site ou nos perfis de redes sociais. No site, quando o usuário ler a indicação Este comentário foi apagado’ significa que o próprio comentarista deletou o comentário postado. Não faz parte da política de M&M gerenciar comentários, seja para interagir, moderar ou apagar eventuais postagens do leitor. Exceções serão aplicadas a comentários que contenham palavrões e ofensas pessoais. O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do cadastrado.”