Maurice Lévy: ?Publicis aguarda decisão da DPZ?

Buscar

Maurice Lévy: ?Publicis aguarda decisão da DPZ?

Buscar
Publicidade

Comunicação

Maurice Lévy: ?Publicis aguarda decisão da DPZ?

CEO do Publicis Groupe encerra visita ao Brasil prometendo novas aquisições no mercado nacional


12 de maio de 2011 - 11h36

Maurice Lévy, CEO do Publicis Groupe, concedeu entrevista coletiva na manhã desta quinta-feira, 12, em São Paulo, antes de encerrar sua visita às agências da holding no Brasil, iniciada na terça-feira, 10. O executivo afirmou que o grupo conversa com “muitas empresas” brasileiras neste momento com vistas a novas aquisições, que poderão ser anunciadas ainda neste ano, sendo que os focos principais de atenção são as áreas digital e de serviços de marketing. Nesta última, uma das tratativas é com as agências promocionais de Paulo Giovanni: a Mix Brand Experience e a Pop Trade.

Outra negociação em andamento se dá com a DPZ. Segundo Lévy, a agência brasileira está tomando a decisão se vai ou não se abrir para uma possível venda. “Se a DPZ se decidir pela venda, o Publicis Groupe está disposto a conversar”, frisou.

O CEO do Publicis Groupe esteve ontem nas sedes da Talent, cujo controle acionário foi assumido pela holding francesa no mês passado, e da Leo Burnett Tailor Made, que acaba de empossar um novo comando, liderado pelo empresário Paulo Giovanni. Lévy elogiou a “vibração positiva” da Talent e reiterou a disposição do grupo de mantê-la independente. “Não é objetivo do Publicis sobrepor a Talent a nenhuma das nossas outras agências”, comprometeu-se.

Sobre a Leo Burnett, Lévy reconheceu que os últimos meses não foram fáceis. Entretanto, segundo ele, os problemas estão superados e o Publicis Groupe crê que com Giovanni e a nova estrutura organizacional implementada no mês passado “as coisas vão caminhar bem”.

wraps

Lévy também visitou a F/Nazca S&S, onde foi recebido pelos sócios Ivan Marques e Fabio Fernandes. O CEO do Publicis Groupe comentou que, apesar da agência ter perdido recentemente a sua maior conta, a da operadora de telefonia celular Claro, a holding está satisfeita com os resultados gerados pele escritório.

Outra visita, acompanhado de Jean-Yves Naouri, novo chairman executivo da Publicis Worldwide, foi feita a agências da rede, que recentemente incorporou a AG2 – também elogiada por Lévy – e a GP7.

A vinda ao Brasil de Lévy e Naouri ocorre em um ótimo momento, já que a holding francesa é o grupo global de comunicação que mais investe no País atualmente.

A lista de negócios fechados pelo Publicis Groupe no Brasil nos últimos 12 meses é grande: adquiriu 60% da Talent e da QG, que mantêm vida independente, mas estão integradas à rede Publicis Worldwide; comprou 5% da incipiente Tailor Made com o objetivo de resolver o problema do quadro diretivo da Leo Burnett, que desde o mês passado é comandada por Paulo Giovanni; ficou com 100% da GP7 e a transformou em Publicis Red Lion, nova unidade da Publicis Worldwide no Brasil; arrematou 5% da Taterka, com a clara intenção de demarcar território; inaugurou os escritórios brasileiros da Razorfish e da S&S X (especializada em shopper marketing); adquiriu 62% da AG2 e a transformou em base da Publicis Modem; consolidou a operação brasileira da Digitas, que abandonou a marca Tribal (empresa nacional comprada no final de 2008); ficou com as ações de Rodrigo Andrade, que deixou a sociedade da F/Nazca S&S, passando a deter participação de 53% na agência; e aumentou de 25% para mais de 50% sua cota na Andreoli MSL.

Além destas, a holding francesa controla no Brasil as agências Publicis, Salles Chemistri e Publicis Dialog; e tem participação minoritária na Neogama/BBH (que tem 40% de suas ações nas mãos da rede BBH, onde o Publicis Groupe detém participação de 49%).

Lévy diz que a rede Publicis Worldwide já tem no Brasil a sua terceira maior operação mundial, atrás apenas de Estados Unidos e França. "Após as movimentações recentes, o País ultrapassou Reino Unido e Alemanha, que historicamente ocupavam a terceira e a quarta colocação", diz o executivo, referindo-se às aquisições de Talent e AG2. Em relação à holding, somando-se os resultados de Publicis, Leo Burnett, F/Nazca S&S e das outras operações, o Brasil é o sexto mercado, mas Lévy diz que naturalmente o País e a China entrarão no Top Five, ocupando algo entre a terceira e a quarta colocação em breve.

O CEO e Chairman do Publicis Groupe revelou ainda que ele coordenará as discussões sobre internet no encontro do G-8 em Paris, nos próximos dias 24 a 26 de maio. Ele apresentará os resultados para os chefes de estado dos países que compõem o bloco. Questões como privacidade e os novos paradigmas da mídia digital são alguns dos tópicos que serão abordados.

wrapswraps

Publicidade

Compartilhe

Veja também

  • Com Omo, Vinicius Jr amplia time de parcerias publicitárias

    Com Omo, Vinicius Jr amplia time de parcerias publicitárias

    Marca da Unilever escolhe jogador para celebrar duas décadas da campanha Se Sujar Faz Bem; Clear, Nike, Gatorade são outros anunciantes a firmar parceria com o craque nos últimos dias

  • Volkswagen mantém conta de mídia global na PHD

    Volkswagen mantém conta de mídia global na PHD

    A PHD, operação do Omnicom, manteve a conta de mídia do grupo Volkswagen após participar de processo de concorrência